Algum Descanso e o Teste ao Mais Recente Conceito Móvel

Este fim de semana tivemos alguns momentos de relax. Tempos de observação no desenvolvimento da nossa hortinha bio, degustação de algumas das nossas colheitas, seguidos de um descanso pós-almoço na chaise longue criada na traseira da carrinha! Hoje da parte da tarde aproveitámos para testar a carrinha e os conceitos que criámos, indo passear em família e fugindo da confusão das praias. Fomos apanhar fresquinho e ver os moinhos de uma terra vizinha a trabalharem a “todo o gás”! 😉

Actualização do nosso Quadro Eléctrico a 12v

Durante a manhã tratámos de actualizar o nosso quadro eléctrico tornando-o ainda mais portátil e adaptado a uma utilização móvel. Refizemos algumas ligações, adicionámos uma luz própria e mais ligações USB 5v e ficha de isqueiro a 12v. Este quadro andará sempre connosco, seja em casa ou na carrinha quando tivermos de nos deslocar.

Bálsamos novos, Gavetões com sobras e Massagens ao final do dia

Hoje iniciámos o dia com trabalho na rua. Visitando o nosso pequeno stock de sobras de material, encontrámos peças de tricapa, resultantes dos cortes da construção do abrigo hobbit. Transformámos as mesmas, utilizando-as nos fundos dos dois gavetões que estavam em falta. Cortámos todo o material necessário para os finalizarmos e metemos mão à obra. Ao final do dia estavam prontos! 😉

Durante a manhã, as meninas no interior do yurt, trabalhavam a sua alquimia para fazerem um novo conjunto do nosso maravilhoso bálsamo de Eucalipto que utilizamos nas massagens e que disponibilizamos em quantidades limitadas e reduzidas a quem decide apoiar o nosso projecto de ecologia! 😉

Ao final do dia recebemos a visita da nossa vizinha Luísa com a Filha que vieram em busca das mãos milagrosas da Maria, para resolverem os seus problemas musculares, usufruindo logo do bálsamo fresquinho, feito hoje de manhã! 😉

Sistemas de Segurança Passiva

Desenvolvemos sistemas de retenção para a carga que iremos transportar nos gavetões do módulo Banco/Cama da Carrinha e fizémo-lo de forma simples e acessível. Corda de Sisal Natural presa com cerra-cabos e fixa com mosquetões a argolas nas laterais do conceito! Já não nos precisamos de preocupar com uma travagem brusca, uma subida íngreme ou uma descida picada, que os gavetões dali não passam. Em breve iremos aplicar sistemas de retenção no banco para que este se mantenha fixo na mesma posição em caso de impacto. As cortinas estão quase terminadas e amanhã contamos avançar com os dois gavetões em falta. A ver vamos! 😉

 

Evolução do Espaço – Final de Julho

Seguem algumas imagens com mais alguns pormenores do nosso jardim, as flores, as sementes, as árvores e os frutos! 😉 A nossa pequena inspectora tem-se deliciado à grande com os Physalis, com o debulhar / separação do grão e do feijão e com as rainhas-cláudias. Estamos a aguardar os nossos primeiros marmelos, tomates, o milho e as pêras que até já partem ramos com o peso. Hoje tive de travar um ramo enorme e já meio quebrado  com o cabo da enxada para a fruta não vir para o chão! 😉

Fixação Biológica de Nitrogénio Atmosférico no Solo

As variadas plantas de grão que utilizámos no nosso canteiro inicial, foram introduzidas com o propósito não só de produção de sementes adaptadas, mas também para auxiliarem na fixação biológica de Nitrogénio atmosférico no solo. As leguminosas têm a característica especial de criarem simbioses com bactérias que fixam o nitrogénio sob a forma de nódulos nas suas raízes, disponibilizando-o de forma assimilável para que outras plantas o utilizem para se desenvolverem. É uma das formas de fertilização que a natureza utiliza e prova que não há, nem nunca houve necessidade de intervenção humana com fertilizantes químicos derivados do petróleo! Nas seguintes imagens podemos ver os nódulos nas raízes e depois separados das mesmas e bio-disponíveis! 😉

Horta, Evolução e Recolha de Sementes Adaptadas

Enquanto trabalhamos em várias actividade, investimos e vemos a nossa modesta hortinha a evoluir de dia para dia! O milho está a desenvolver-se bem e a polinizar-se, o feijão está em flor, os plantados inicialmente já têm vagem. A hortelã, a alfazema, a cidreira, o tomilho, os oregãos e a segurelha estão em flor,  as abóboras tâm as folhas a crescerem bem e esperamos ansiosamente o surgimento das primeiras flores. Temos debulhado algum grão e feijão todos os dias, os tomates estão a amadurecer e são variados, as couves já foram apanhadas e estão a aguardar a transformação em sauerkraut, Depois dos Figos, das Ameixas bravias, das Pêras iniciais, recolhemos neste momento diariamente Ameixas (Rainhas Claúdias). As pêras rocha estão quase no ponto para recolhermos, partilharmos e conservarmos. Os girassóis já espreitam, as cebolas já estão a largar as sementes que estamos a recolher e muito mais coisas que aos poucos vamos retirando do terreno, armazenando estas primeiras sementes para o nosso banco que iremos multiplicar no próximo ano certamente. Este início de horta foi demorado pois além das várias actividades em curso, estamos focados em iniciar de raiz todo o ciclo das nossas novas plantas, germinando tudo de semente, para termos um sistema mais forte e adaptado no futuro.

Sub-Projecto da Carrinha com Conclusão à Vista!

Nos últimos dias, e no intervalo das actividades inerentes à vida no projecto, temos sempre que possível, avançado com os últimos pormenores e detalhes do projecto de restauro/conversão da carrinha. A praticamente duas semanas do fim deste sub-projecto, já migrámos o gavetão com sanita para o espaço definitivo no interior, adicionámos mais três cortinas (faltam outras três), criámos o sistema de fixação para a mesa colapsável, cortámos mais peças a partir de sobras / material reutilizado para concluir os outros dois gavetões que faltam e criámos ainda um sistema de fixação manual (com peças personalizadas e sem necessidade de ferramentas para fecho/abertura) que em menos de dois segundos, fixa ou solta toda a estrutura modular/banco/cama do chão da carrinha. Por fim, adicionámos duas barras lowcost no tejadilho para fixarmos o pneu suplente e o painel solar fotovoltaico cá de casa, que poderemos levar connosco, sempre que necessário, pois o nosso sistema eléctrico a 12v é modular e móvel, permitindo ser utilizado em qualquer conceito. Até ao início de Agosto contamos ter tudo concluído. Em Setembro precisamos de avançar para novos projectos, nomeadamente o cold frame para germinar ainda no inverno, as sementes a utilizar na horta na próxima primavera e a muito desejada capoeira para as Galinhas.

Mesa Zen Colapsável de Arrumação Vertical

Hoje construímos a nossa mesa zen colapsável para a carrinha, concebida totalmente com materiais reutilizados e até os parafusos e porcas são usados. É utilizada connosco sentados e terá como função principal tomarmos as nossas refeições, trabalharmos no computador ou servir de base/suporte/tabuleiro a partir do exterior, quando utilizada na sua posição fechada. Além de todas estas vantagens não ocupa praticamente espaço nenhum pois será em breve, armazenada verticalmente na traseira do banco do passageiro no recentemente criado painel de OSB! 😉

 

 

Debulhando Grão e Feijão

A pequenota cá de casa adora apanhar caracóis, debulhar grão e estes nossos primeiros feijões. Está a ficar uma especialista e a tomar contacto com todo o ciclo das plantas, com o cheiro e a textura de cada uma delas bem como das suas vagens e sementes. Ainda hoje o cheiro intenso e doce dos tomateiros me trouxe memórias de infância que embora tenha sido vivida na cidade, me remete para a horta que o meu pai teve quando eu era pequeno. Estas são as nossas primeiras sementes completamente adaptadas ao nosso espaço e passarão a fazer parte do nosso banco de sementes para serem utilizadas no próximo ano! As pêras continuam a crescer na árvore e nós à espera que estejam prontas para as apanharmos. A foto é apenas de um ramito! 😉

 

Novo Gavetão e Sanita Seca no Sistema Modular Amovível

Os últimos dois dias têm sido de imenso trabalho criativo a reutilizar materiais e a usar sobras para conseguirmos avançar com os restantes espaços do sistema modular amovível que estamos a construir para a carrinha. Criámos o segundo Gavetão e a Sanita Seca a incorporar num dos dois gavetões interiores que ainda não construímos. Como se vê nas imagens está tudo impecável e à medida. O gavetão de cozinha/despensa já se encontra em funcionamento e já foi testado ontem! A sanita seca portátil e amovível cabe perfeitamente no interior dos gavetões mas foi uma trabalheira danada fazer todos os ajustes, cortes e encaixes para o balde no tampo personalizado! 😉

Desenvolvimento da Espiral das Três Irmãs

Temos estado mais atentos ao desenvolvimento do milho fora e dentro do sistema de espiral em consociação com feijão e abóbora, para conseguirmos perceber as grades vantagens. Independentemente dos resultados finais, neste momento percebemos que em cinco semanas passámos de plântulas pequeninas a plantas maduras, quase prontas a reproduzir. O feijão neste sistema, cresceu muito mais do que aquele que plantámos afastado do milho e a abóbora começa agora a desenvolver-se e a cobrir o solo.  Temos várias sementes de milhos diferentes, plantadas em diferentes semanas e estamos desejosos de ter na mão as nossas primeiras massarocas adaptadas para podermos plantar ainda mais quantidade no próximo ano. Os que foram plantados há mais tempo já se estão a reproduzir como se vê nas imagens! 😉

Antes e Depois:

Feijão a trepar pelo milho / Inflorescência Feminina(espiga) / Inflorescência Masculina (Pendão)

Planeamento ao Detalhe para Aproveitamento de Sobras e Material Reutilizado

Nos últimos dias temos avançado com o projecto modular móvel para a carrinha. Nesta fase apenas reutilizamos material ou usamos sobras para concebermos as restantes características que pretendemos incorporar na carrinha. Criámos e fixámos painéis de madeira na traseira do lugar do condutor e passageiro para podermos mais facilmente migrar o nosso sistema de geração de energia móvel de casa. Sempre que o projecto esteja na estrada, temos connosco o mesmo sistema de energia composto pelo painel fotovoltaico, o sistema controlador de distribuição e a bateria.

Na traseira do banco do passageiro iremos incorporar uma mesa colapsável que poderá ser tirada e recolocada, ficando armazenada verticalmente para não ocupar praticamente espaço.  Tudo está a ser aproveitado ao pormenor daí termos de ir com calma e planeando de acordo com as medidas de material que temos disponível. Também as cortinas estão a ser feitas a partir de retalhos de pano que nos foi oferecido.

Depois do planeamento base em 3D, hoje já avançamos para a construção efectiva do primeiro gavetão que será utilizado para cozinhar, como louceiro e despensa! 😉 Foram montadas as corrediças e instalado em definitivo este módulo de cozinha/despensa! 😉

Compostores e Resultados Práticos

Hoje vazámos pela segunda vez um dos compostores mais antigos, separando alguma palha não compostada nos rebordos e topo, que serviu de cobertura de solo para várias árvores. A restante matéria, foi arejada, molhada e adicionada ao composto finalizado que temos utilizado nos vasos, covetes de germinação e na horta, mas que vai ficar em repouso durante alguns dias para o peneirarmos.

Criámos ainda um novo compostor entre a oliveira e a alfarrobeira. Esperamos que as mesmas se desenvolvam mais rápido e se mantenham nutridas. Esse foi o resultado que observámos nas duas ameixeiras e pereira que estão entre os compostores iniciais e que estão carregadas de fruta neste momento. O Sabugueiro que lá temos ao lado, cresceu uns 500% desde que foi plantado ao lado do compostor, já deu imensa flor e está agora a dar bagas! 😉

Mais Colheitas e Plantações Experimentais

Nos últimos dias temos vindo a colher brássicas que iremos fermentar e utilizar em crú na nossa dieta. Colhemos também várias plantas de grão para obtermos as nossas sementes já adaptadas e com memória genética, a utilizar nas próximo ciclo reprodutivo. O debulhar do grão foi feito com a ajuda da nossa menina que adorou tirar os grãos das cápsulas! Ao mesmo tempo, concluímos o segundo canteiro em espiral com milho abóbora e feijão, distribuíndo todas as plântulas de Abóbora por outros canteiros e no fardo de palha humedecido e fertilizado com composto. Sabemos que as abóboras provavelmente já vão tarde, mas como temos um microclima especial, pode ser que consigamos ainda alguma coisa até ao Outono!  Por fim, cobrimos tudo com bastante palha para manter a humidade no solo e nutrir o mesmo com carbono! 😉

Painéis e Banco concluídos

Com muito esforço e investimento pessoal, depois de um ano de darmos início a este projecto de restauro, aos poucos fomos fazendo dentro das nossas possibilidades o melhoramento da nossa velha carrinha de 1982. No ambiente urbano onde estamos inseridos, mas onde tudo está a uma distância considerável, este elemento é crítico e tem várias funções. Permite-nos por exemplo, actividades cruciais como o transporte de lenha que ainda não conseguimos produzir, palha, madeira, paletes, resultados de trocas e tudo o que for necessário, como fazer deslocações, visitar projectos amigos, levar o projecto até outros locais, fazer trocas de serviços e até pernoitar. Todos os elementos devem ter várias funções e que cada função deve ser suportada por vários elementos. Por exemplo, a função de pernoita ou dormida está suportada neste momento pelo yurt, pelo abrigo hobbit e agora pela carrinha. Este projecto é um excelente exemplo de aplicação dos dois princípios de design de permacultura enumerados.

Celebrações, Comunidade e Processamento de Alimentos

Ontem celebrámos o acontecimento mais importante da nossa vida pela terceira vez, ou seja o 2º aniversário da nossa menina, aproveitando para ir passear até ao local preferido de brincadeira da nossa bébé, a praia! Aproveitando a presença dos meus pais, recebemos uma preciosa ajuda na apanha de Pêra Rocha e Ameixas que estão prontas e que se não forem aproveitadas agora, acabam por ir parar ao chão e não ter a utilidade alimentar de que necessitamos. Em troca aproveitámos para partilhar parte dos excedentes e o resto processámos, transformando a polpa em compota e a pele e caroços em geleia. No total processámos 5Kg de Pêra já descascada e descaroçada (1kg para compota e 4kg para congelar) e 3,4Kg de Ameixa que foram transformados em compota.

Os ramos resultantes das podas que demos nas Pereiras em Fevereiro já estão completamente secos com o calor dos últimos tempos e têm sido utilizados como forma de biomassa para alimentar o nosso sistema de água quente a lenha, a bailarina.

Resumindo, com a energia investida hoje e apenas com a extração de recursos de uma pereira e duas ameixeiras, conseguimos transformar num output energético muito superior e que esperamos durar umas boas semanas pelo menos. Daqui a 4 ou 5 semanas teremos disponíveis ainda outras Três árvores de outra variedade de Pêra para colher e processar para armazenarmos esse alimento preservado sob a forma de Calda, Compota, Geleia ou Licor.

O Banho dos Guerreiros foi no final do dia, com água quente aquecida com as podas da pereiras, no chuveiro exterior. Ao mesmo tempo, aproveitou-se para alimentar com a água do banho, o chá príncipe e a citronela que está plantada a toda a volta! 😉