Novas Criações e Restauros Vintage

Nos últimos dias, com o bom tempo no exterior, aproveitámos para trabalhar na rua criando pormenores de finalização de certos projectos. Convertemos um velho banco, numa pequena estante para o abrigo hobbit e criámos uma pala para a porta do yurt que se adequa melhor à nova tela do telhado afastando a água o mais possível da mesma. Fizemos ainda novos caminhos e um novo canteiro paralelo aos outros que já temos. A hortinha de consociações e o espaço envolvente estão a evoluir bastante e em breve vamos poder iniciar as colheitas! Algumas deixamos mesmo ir para semente, para termos semente nova para a próxima época 😉

Esta semana doaram-nos ainda uma relíquia vintage de 1975, um AIKO ATPR-412 fabricado no Japão, que estava bastante mal tratado, com o apoio interno das pilhas partido, resíduos de baterias explodidas no interior, muita poeira e mesmo lixo agarrado há décadas no plástico. Até depois da limpeza inicial, era impossível sentirmo-nos satisfeitos com o resultado e daí termos feito uma limpeza mais profunda até que o pudéssemos testar e utilizar devidamente. A grande vantagem deste aparelho é que além da sua versatilidade, com diferentes tipos de entradas e saídas, é que permite ser conectado a 110, 220 ou 12 volts. Está a funcionar, tem um som bastante agradável e temos aproveitado para usá-lo como rádio portátil, ligado directamente ao painel solar por ficha de isqueiro a 12v. Consta até da listagem da radiomuseum.org em: https://www.radiomuseum.org/r/aiko_atpr412atpr_41.html

Chegadas e a Partidas

E é assim! Novos projectos surgem, outros terminam. Pessoas vêm e outras vão, objectos chegam feios e saem bonitos. Aceitamos a chegada e partida de tudo, no tempo certo e tendo em atenção que se fez o melhor possível, com o que se tem e onde se está, para que tudo se torne melhor na saída em relação à entrada. Ao mesmo tempo que hoje anunciamos a chegada e montagem de um chapéu novo para o Yurt que veio restaurar e embelezar o nosso conceito de habitação, o equilíbrio diz-nos que está na hora de disponibilizarmos a nossa fiel companheira para quem deseje partir à aventura.

É uma carrinha Mercedes MB130 de 1982, está impecável de motor, tem 147.000km, 2400cc de 70 e qq coisa cavalos.  Média de 8l de gasóleo aos 100. Não são obrigatórios cintos atrás. De livrete tem “até 9 lugares”, muito importante pois pode circular com apenas os dois da frente, com 5, 7 ou com os 9. Como nunca escondemos, precisa de trabalho exterior a nivel de chapa/carroçaria, algo que se a carrinha estiver protegida com telheiro como nós temos ou em garagem, pouca diferença faz para quem a for usar a não ser certos pormenores estéticos. Foi toda reparada por dentro inclusive na cabine frontal e adicionados vários sistemas, incluindo o módulo de arrumação/banco/cama que se monta em segundos e que se separa do chão de madeira e cortiça permitindo ser facilmente retirado.

O anúncio de venda está no OLX com todos os detalhes em: https://bit.ly/2k8pZpu

O trabalho de hoje com a ajuda do nosso amigo João:

Realidade, Manutenções e Doações.

Viver desta forma e querer fazer evoluir um espaço de forma ecológica e sustentável, é sinónimo de muito trabalho e pouco descanso, ao contrário daquilo que te é vendido nos cursos de permacultura e nos videos do youtube. Geralmente parece que basta um grande planeamento inicial (que se parte do princípio que já tens todos os conhecimentos para poderes fazer esse grande planeamento, o que nunca corresponde à realidade), e depois, momentos de acção, que geralmente envolvem alguma gente nova, muito saudável e evoluída espiritualmente, que voluntariamente irá fazer o trabalho por ti. Na prática e na realidade, em condições normais, terás de ser tu a meter mãos na massa e fazer o teu percurso sozinho, porque cada um tem a sua vida e muito poucos ou nenhuns se chegam à frente para te ajudar, mesmo os teus amigos que acham piada ao que andas a fazer. Por outro lado, se queres ajuda à séria e não tens como pagar essa ajuda ou até com quem trocar serviços, lamento informar-te mais vais ter de meter mãos na massa a dobrar e contares apenas contigo. Daí a nossa abordagem ser a de mostrar que na realidade, são os conjuntos de pequenas acções diárias feitas por nós, que resultam a longo prazo na busca por uma maior auto-suficiência e crescimento pessoal.

Os últimos dias têm estado fantásticos para trabalhar na rua e é aí que temos concentrado os nossos esforços. Já temos o espaço todo “tosquiado”, as plantas mais importantes libertadas e as árvores conduzidas para um melhor e mais rápido crescimento. Recentemente foram-nos doados dois objectos de grande volume, os quais não poderíamos ter recolhido sem a nossa preciosa relíquia, a nossa carrinha multifuncional de 1982, que acabou de completar 36 anos, 147.000km, e que nos levou tranquilamente esta semana até Lisboa, onde fomos recolher um compostor para o espaço das galinhas e uma máquina de costura antiga a pedal em versão condensada, de uma amiga do coração que a têm desde 1950. Quem nos doa objectos sabe que além de os recuperarmos e/ou estimarmos realmente, estes nunca ficarão esquecidos ao tempo ou abandonados num barracão.  Obrigado pelas fantásticas ofertas. Em cada uma delas, há sempre um sentimento de reconhecimento pelo nosso trabalho e confiança de que estes objectos, terão uma segunda vida digna, no nosso projecto de ecologia. Obrigado! 😉

Gostaste das dicas? Subscreve agora! 😉

Maio 2018 – Banhos na Rua, Controlo de Ervas e Evolução do Espaço

Com o regresso do bom tempo nos últimos dias, os banhos na rua com a água aquecida pelo Sol têm sido recorrentes. Desta forma, o processo de banho fica facilitado, pois não necessitamos de acender a bailarina a lenha e ao utilizarmos o duche exterior, regamos automaticamente as nossas plantas de erva príncipe, que rodeiam toda a base. Até a nossa pequenota aproveitou a sua “piscina” no mesmo espaço para brincar e tomar banho. Imperativo foi também o controlo do tamanho das ervas que se desenvolveram no último mês. A sua invasão indesejada dos espaços, foi resolvida com a técnica simples de “corte e largada” ou arrancando manualmente algumas mais persistentes, que ficam no local ou são transportadas para o compostor. Recolhemos mais medicinais para procedermos à sua secagem, tanto para serem usadas em infusões como nas macerações com as quais fazemos os nossos produtos de saúde e bem-estar. Na horta está tudo a crescer também e o espaço está a cada dia mais bonito e os frutos já espreitam nas árvores! 😉

Se desejas saber mais e aprender de forma personalizada, de acordo com os teus interesses, temos todo o gosto em receber-te numa visita guiada ao nosso espaço. Para sabers mais clica aqui: https://bit.ly/2FfHrBq

Para todas as notícias relacionadas com o nosso trabalho subscreve agora:

Optimização, Manutenção Inesperada e Resiliência

Esta última semana foi repleta de actividades, pois estamos a tentar fazer o máximo possível para compensar os meses mais quentes que não irão permitir que desenvolvamos actividades na rua, dentro do horário de maior calor e exposição solar. Com o sol mais “alto” no céu, chegou a hora de reposicionar o painel solar, colocando-o com uma inclinação aproximada de 30º. Desta forma optimizamos a captura de energia pelo sistema e ganhamos ainda preciosos amperes para acumular nos nossos pontos de armazenamento.

Já que tivemos de trabalhar em altura, aproveitámos para remover, limpar e adaptar novos parafusos na cúpula do Yurt. Infelizmente descobrimos recentemente que a nossa tela do telhado atingiu o seu limite. com quase 6 anos de utilização, começando a descoser-se em vários pontos o que nos vai obrigar a uma despesa extra que não esperávamos neste momento, para procedermos à substituição da mesma. De maneira a evitar infiltrações, colocámos temporariamente peças de madeira no telhado a cobrir as uniões descosidas, enquanto aguardamos pela nova tela.

A limitação de estarmos dependentes de alguém, para que possamos ter uma nova tela de cobertura, veio demonstrar-nos que temos os próximos 5 anos para começar a pensar em criar uma solução de cobertura mais duradoura a longo prazo ou em criar um novo conceito habitacional, o qual possamos nós mesmo resolver este tipo de situação. Resumindo. Este é mais um ponto a trabalhar na resiliência do yurt. Felizmente todos os outros conceitos já tiveram este pormenor em atenção.

Horta, Espaço dos Animais e Novos Caminhos

Nos últimos dois dias temos feito evoluir ainda mais, o espaço da horta e dos animais. O espaço anexo à área vedada recentemente, foi revolvido a 15 cm de profundidade para remover pedras ou lixo, alisado e coberto com cartão e palha no canteiro a Sul junto à vedação e coberto com cartão e casca de pinheiro nos caminhos feitos entre canteiros. Os restantes caminhos de acesso às diferentes áreas, também foram revolvidos e cobertos utilizando o mesmo sistema. Por fim, criámos um novo canteiro imediatamente à direita da entrada no espaço, iniciando a nova incursão de canteiros para produção alimentar. Ao mesmo tempo que as tarefas decorriam, a nossa menina deliciava-se com a sua nova “piscina”, uma pequena dorna de 120 litros que mesmo pouca cheia, faz as maravilhas de qualquer criança! 😉

Gostaste da Dica? Subscreve agora! 😉

Dolorosa Evolução

A última semana, foi uma semana onde infelizmente, tivemos de lidar com a dor da perda e com a frustração de lidar com coisas que estão fora do nosso controlo e da nossa vontade. O nosso gatinho Badé, que tão carinhosamente acolhemos durante as últimas semanas, foi um lutador. A mãe abandonou-o (prevendo talvez a sua fragilidade) e nós fizemos de tudo para o ter e manter bem. Infelizmente a natureza, não quis que assim fosse e ele partiu inesperadamente, deixando-nos com menos um pedaço. O Badé nas poucas semanas de vida que teve, foi amado, acarinhado e cuidado, mas custou-nos termos presenciado a sua partida, o que aconteceu com sofrimento dele e nosso. No dia em que partiu, decidimos que ficaria connosco, num dos locais mais bonitos do espaço, perto do Baloiço da Gaia e no meio de muitas Calêndulas. Dedicámos-lhe este espacinho e fizémos-lhe uma placa em Xilogravura que colocámos imediatamente na frente da sua campa, como forma de última homenagem e para o recordarmos com o mesmo carinho, sempre que passarmos por ela.

Um obrigado especial à nossa amiga Ana, que desde que encontrámos o Badé, nos  enviou leite, biberão e comida, ajudando e ensinando a cuidar o melhor possível dele e com a qual eu estive pessoalmente em comunicação desesperada e a chorar baba e ranho, na hora em que morte decidiu roubar-mo. Beijo amiga. obrigado por tudo

Até já, meu querido Badé!

P.S. – Obrigado a todos os amigos que nos deixaram lindas palavras pelo facebook. Tal como referiram, esta dolorosa evolução chegou sob a forma cedência e compromisso, transformação e dor, culpa e responsabilidade, aceitação e acima de tudo, muito amor e carinho.

Dia do Trabalhador – Celebrando Conquistas

Por aqui, dias de semana. fins de semana ou feriados é tudo igual. O dia descanso é quando se quer ou quando se pode. Não existem dias marcados e as comemorações são realizadas de acordo com as nossas conquistas pessoais e não de acordo com o instituído por um governo ou religião. Celebrando as conquistas laborais de quem está no sistema, hoje, dia do trabalhador, celebramos a conclusão da vedação e portada de acesso da área dos animais. Com eles, estabeleceremos parcerias em que ambas as partes beneficiarão, ao contrário das “produções/explorações animais” com uma atitude de subjugação de outra espécie para benefício próprio. Este é o verdadeiro espirito do futuro dia do trabalhador, o dia em que se celebram conquistas, fazendo o que se ama, rodeado de quem tem significado na nossa vida e fora do sistema capitalista patrão-empregado. Bom dia do trabalhador! 😉

Gostaste da Dica? Subscreve agora! 😉