Praticando o Desapego. Fim de um Projecto de Dois Anos

O dia de hoje e a última semana têm sido de emoções fortes. Após dois anos de um projecto de recuperação de uma carrinha clássica fantástica, hoje como forma de praticar o desapego e como forma de permitirmos que mais pessoas possam usufruir da nossa criação, despedimo-nos dela, relembrando a energia, a dedicação e todo o trabalho envolvido neste projecto. Sabemos que fica bem entregue a uma família de quatro elementos e que esperamos que tenham sucesso com a sua utilização, que vivam tantas ou mais aventuras que as que nós vivemos e que continuem os trabalho de manutenção e recuperação para não a deixarem morrer por falta de cuidados.

Crimes Ambientais

A nossa vida é centrada na preocupação ambiental de forma a garantirmos que a nossa espécie se mantenha com condições de vida neste planeta. Infelizmente no local onde vivemos, parece que todas as outras pessoas trabalham no sentido inverso.

Vivemos num espaço urbano/rural que ao mesmo tempo é um grande destino turístico e que devia ser uma referência ecológica a nível nacional. Contamos com um povo que lutou no passado contra centrais nucleares, que luta hoje contra explorações petrolíferas, é ou não é uma vergonha que as Juntas de Freguesia de Peniche, desrespeitem as leis da natureza constantemente? Continuam as aplicações de glifosato nas árvores que estão em espaço público, anexo a casas de habitação, num local onde circulam os habitantes, os seus filhos e os seus animais de companhia, que respiram e transportam consigo este veneno aumentando exponencialmente os casos de cancro no nosso País. Há ainda duas aplicações anuais, directas nos passeios, portas e serventias de todas as casas. Até quando é que vamos aguentar isto?

E não fica por aqui, pois infelizmente os utentes das nossas praias, mostram também a sua grande preocupação desta forma. Capturámos imagens na praia do Baleal, ontem ao final do dia. E isto repete-se todos os dias. Será muito difícil as pessoas levarem consigo o próprio “lixo” e separá-lo devidamente já em casa para que isto não aconteça? Todos somos responsáveis, todos temos uma voz activa e todos temos o dever cívico de não deixar que estas situações aconteçam. Respeitem-nos e façam-nos o favor de se cumprirem como gente.

Horta/Jardim Comestível – Final de Julho

Demoraram a chegar os dias mais quentes e com toda a chuva que caiu não nos parece que este venha a ser um ano de muita fruta. Até há poucos dias, o céu nublado e a chuva miúda reinavam. Hoje, praticamente no final de Julho, este é o aspecto do nosso humilde projecto. Cada vez com mais espécies, maior diversidade, mais nutrientes e com mais estratos preenchidos. Mesmo as zonas em que não há produção, há cobertura de solo! 😉

Manutenção Compostores e Chuveiro Solar

Como parte do processo de manutenção do espaço, os nossos compostores têm um papel muito importante e são utilizados praticamente todos os dias. No processo de implementação do nosso espaço, os resíduos humanos foram desde o início, o ponto principal de ataque, de forma a não estarmos dependentes de uma rede de tratamento de esgotos ou fossas sépticas que estão completamente obsoletas. Desta forma transformamos o que seria supostamente um problema, numa oportunidade. Anualmente, temos vários compostores em funcionamento, com pelo menos um deles, em fase de repouso enquanto outro em fase activa no processo de compostagem de resíduos humanos (humanure). Nas seguintes imagens poderão ver um compostor em fase activa e quase cheio, depois um compostor com um ano e meio de repouso e finalmente o interior desse compostor com toda a matéria pronta e transformada em solo, rico em nutrientes para incorporar na horta e para germinar novas sementes!

Ainda esta semana, como parte do processo de manutenção do espaço envolvente ao chuveiro exterior solar, colhemos erva príncipe que rodeia o chuveiro, renovámos caminhos com casca de pinheiro, removemos ervas invasoras com as quais alimentamos as nossas galinhas e por fim cobrimos o solo com palha em início de decomposição e já com algum micélio! A pouco e pouco vamos protegendo e construindo o nosso solo ao mesmo tempo que vamos introduzindo mais espécies. No espaço mais aberto que libertámos, vamos tentar incluir abacateiros para preencherem aquele estrato médio / alto no futuro, fazendo companhia a um abacateiro que se deu bem e ainda lá está.

Gostaste da Dica? Subscreve agora! 😉

Gratidão e Abundância

Diariamente fazemos o nosso melhor, com o que ainda consideramos ser pouco sabermos. Agradavelmente vamos descobrindo e aplicando ao nosso ritmo, os conhecimentos sob a forma de investimento no mundo natural, que este nos devolve atempadamente, em forma de abundância. O solo ainda não está perfeito, mas está muito mais evoluído e capaz do que há três anos atrás, quando estava morto, cheio de lixo e completamente rapado. Esperamos ao longo dos próximos anos, continuarmos a assistir a uma evolução exponencial de todos os sistemas e principalmente, continuar a aperfeiçoar as nossas próprias sementes. Já temos sementes de 2ª geração e recentemente de 1ª, que estamos a recolher este ano, já completamente adaptadas ao nosso solo e clima. A comida tem ido directamente da horta para o prato e mesmo que não tenha a “perfeição” do tamanho e do o aspecto convencional, o valor nutricional é bem superior! 😉 Ao mesmo tempo recolhemos e secamos medicinais, observamos e tentamos identificar as novas espécies que vêm habitar o espaço connosco, vemos a fruta a maturar nas árvores, recolhemos sementes e cuidamos da nossa saúde ingerindo comida verdadeira, sem agrotóxicos e não modificada geneticamente.

Gostaste da Dica? Subscreve agora! 😉

Evolução do Espaço – Primeira Quinzena da Julho

Neste momento, colhemos diariamente tudo o que a natureza nos oferece ao seu ritmo. Um par de tomates dali, umas folhas de alface daqui, uma cebola de acolá, um alho francês, uns rabanetes e umas folhas de couve e rúcula do outro lado. As árvores já dão Figos e Peras, as Ameixas vêm a caminho juntamente com os Marmelos e as Pêras mais tardias. Nunca vimos tantas abelhas e especialmente Zangões que incansavelmente nos ajudam na manutenção do espaço. A luta contra as “infestantes” vai sendo resolvida aos poucos e de forma manual, dirigindo essa matéria “inoportuna”, transformando-a numa oportunidade na pilha de composto, à volta das árvores ou na alimentação das galinhas que transformam todos os nutrientes em ovos. Aqui ficam alguns registos fotográficos:

Novas Habitantes Completamente Integradas

As novas habitantes estão completamente integradas, andando à sua vontade a explorar cada recanto, alimentado-se do que querem e quando querem, com água da chuva suficientemente disponível para a sua necessidade. Entram e saem livremente da capoeira que tem a porta sempre aberta para não as condicionarmos na sua vontade. Já se habituaram a colocar os ovos no interior e todos os dias têm ervas fresquinhas que colhemos no jardim, para complementar a sua alimentação.

Celebrações, Viagens e Alguns Paraísos Urbanos

Pouco publicámos nos últimos 15 dias. Muitas coisas aconteceram, desde projectos inesperadamente adiados, problemas de saúde na família e uma recente viagem de celebração e convívio. Passadas estas duas semanas, tudo está calmo de novo. Estamos principalmente aliviados com a resolução dos problemas de saúde na família e que felizmente tiveram um bom desfecho. Aos poucos, regressámos ao nosso registo, festejando em família o terceiro aniversário da nossa menina e celebrando-o mais calmamente, uma semana depois, numa viagem até ao norte de Portugal, onde fomos em busca de mundos naturais dentro de uma grande cidade. Descobrimos verdadeiros paraísos no Parque Biológico de Gaia, na Quinta do Covelo e no Parque das Lavandeiras. Três sugestões a não perder  para as quais deixamos alguns registos fotográficos.