Aprende a Gerir a tua Própria M…

Um tema que parece tabu para muitos, para nós é perfeitamente normal, até porque mais do que nos alimentarmos maioritariamente de forma vegetariana ou vegan, mais do que recolhermos água da chuva ou mais do que produzirmos a maior parte da nossa necessidade energética, continuamos a afirmar que há muito para fazer quanto aos “outputs” humanos. Toda a gente hoje em dia é “ecológica”, todos fazem isto e aquilo, mas infelizmente quase todos utilizam uma sanita convencional onde descarregam em água potável, desperdiçando um número brutal de energia e recursos que seriam uma grande base de um sistema equilibrado e verdadeiramente ecológico.

Há soluções, mesmo para quem vive na cidade ou num apartamento, mas ninguém quer ter o trabalho de pensar nelas. No entanto são muitos os que partilham incessantemente nas redes sociais as campanhas de sensibilização de limpeza das praias e as campanhas de poupança de água, etc, etc…

Número 1 – foi excretado? ok, tem de ir parar ao solo e não despejado num meio aquático para ser transportado para outro lugar.

Número 2 – Cobrir sempre com matéria orgânica seca, rica em carbono (palha, aparas de madeira, serradura, etc…)

Número 3 – Pode ser regado para manter o nivel de humidade

Número 4 – Repetir até o compostor ou o espaço destinado estar cheio

Número 5 – Criar um novo espaço de compostagem e repetir os pontos 1 a 4 deixando o primeiro compostor ou espaço de compostagem repousar durante um ano e meio.

Número 6 – Passado um ano e meio, recolher um maravilhoso solo rico em nutrientes para alimentar vasos, covetes de germinação ou canteiros de hortas

P.S- Para quem vive em apartamento ou na cidade tem mais lógica colocar o conteúdo de uma sanita seca nos contentores de lixo orgânico do que despejá-lo em água potável. Pensem nisso!

Gostaste da dica? Não percas nada do que temos para te ensinar! Subscreve já! 😉

Loading

Leave a Reply