Seguir um Caminho Natural

Sempre que temos dúvidas, paramos e observamos o que nos rodeia. Deixamos serem os animais e as plantas a mostraram-nos o caminho a seguir e a guiarem-nos no que é necessário fazer. Não será certamente o caminho mais rápido, mas é sem dúvida, o mais prazeroso e que nos liga mais aos elementos que nos rodeiam. Todos os dias sentimos o peito cheio de coisas boas ao vermos o espaço e a nossa menina, a crescerem e a desenvolverem-se em conjunto. Deixamos que nos ensinem e que nos mostrem, que é muito bom aprender e que é muito triste alguém pensar que sabe tudo. Aliás, diz-se que os idiotas são cheios de certezas. Aqui acertamos mais do que falhamos, mas não temos que estar sempre no topo do nosso jogo, nem temos de fazer sempre mais e melhor. A vida é feita de vitórias e fracassos, e afinal, é isso que a torna mais rica, pois nela há diversidade e há obstáculos a ultrapassar. Destes momentos, saem histórias daquelas que ficam para contar, daquelas que ninguém pode roubar, pois são elas que nos definem e fazem de nós, quem somos.

Por aqui, nos últimos dias preparam-se novas germinações, transplantam-se plantas, mondam-se canteiros, podam-se árvores, trituram-se ramos e cria-se cobertura de solo. Tudo está a despertar da dormência do inverno e a iniciar um novo ciclo de produtividade. Trabalhamos com a natureza e para a natureza, pois sabemos que um dia quando partirmos desta dimensão a nossa missão foi cumprida. Quanto aos outros, façam o favor de se cumprir.

Esta semana, recebemos ainda, a visita de amigos e aproveitámos para colher flores, brincar no Tippi, comer na rua e fazermos vários jogos e brincadeiras em conjunto. Foi um dia bem passado na rua e no meio da natureza.

Novo Compostor de Resíduos Humanos

Acabámos de montar com a nossa menina, mais um compostor de “humanure”. Simples, rápido e barato, feito com material reutilizado e mais que provado, como solução para um grave problema na nossa sociedade, a incorrecta gestão dos dejectos humanos utilizando água potável como transporte. Há 6 anos que compostamos as nossas necessidades e introduzimos o resultado, dois anos depois, na zona de produção alimentar que irá fertilizar os alimentos que iremos comer. A nossa menina já o faz desde que nasceu e é natural para ela não utilizar água potável para descarregar as suas necessidades para um local onde “alguém” terá de resolver o problema. Esse é o futuro dos nossos filhos e não o modelo actual! Acorda e Muda!

A Primavera Está à Porta!

A Primavera está à porta, embora por vezes apareçam alguns dias mais traiçoeiros. Sempre que possível, mãos na terra, com algumas transplantações e germinações com base no nosso maravilhoso composto. De resto, contemplação, colheitas e ver tudo a crescer e a multiplicar-se. A nossa preta lusitânica, sem intervenções, aquecimento, lâmpadas XPTO, etc.. tem-se mantido forte, sobreviveu o inverno de forma saudável e já regressou à postura. Entretanto esta semana ofereceram-nos duas ajudantes e companheiras jovens, que vão agora passar pelo processo de alimentação exclusiva bio durante os próximos meses. Até lá deverão ganhar a maturidade para poderem iniciar a postura.

Continuamos com os trabalhos de manutenção do espaço. Vamos instalar uma nova área para receber o novo compostor de humanure, visto que os compostores estão todos cheios, um deles já em pausa e o outro vai iniciá-la agora. Temos andado ocupado com o estudo da Oficina móvel que está a ser afinado em projecto conceptual tendo em conta as limitações de espaço, medidas da serventia, facilidade ou dificuldade de transporte e mesmo a instalação e facilidade para um dia poder retirá-la do espaço. É um projecto ambicioso e tem de ser preparado com calma. Entretanto iniciámos também a nova fase de produção de sabonetes ecológicos que estarão disponíveis para nós e para nos quiser apoiar, daqui a 5 semanas.

Parece Primavera

Como os dias têm estado maravilhosos, e parece mesmo primavera, temos aproveitado a oportunidade de passar mais tempo no exterior, a mondar, transplantar, regar, podar, triturar e a criar cobertura de solo. Estamos finalmente a dar um toque nas laranjeiras que estavam há anos a aguardar uma poda que permita que a luz e o ar circulem livremente na área interior da copa. Ainda há trabalho para concluir nos próximos dias nesse sentido.

Sempre que possível, aproveitamos também para almoçar na rua na mesa exterior que criámos no ano passado. Depois do almoço mudámos finalmente a mesa, para a sua área de Primavera/Verão, visto que temos de começar a pensar nos espaços disponíveis e acessíveis, para instalar a futura oficina móvel.

Esta semana conseguimos ainda colher e secar flores, criar novos sabonetes, enviar algumas encomendas para apoiantes e acima de tudo, conseguimos recuperar / reparar mais alguns equipamentos electrónicos que iam a caminho do aterro ou de desmantelamento, o que nos deixa sempre felizes, não só porque aprendemos sempre algo novo, como evitamos o desperdício de algo que ainda tem vida útil. O que me faz mais confusão é mesmo a quantidade de aparelhos que toda a gente “manda fora”, que são reparáveis e que podem continuar a exercer a sua função perfeitamente.

A Necessidade de um Conceito Móvel de Trabalho

Há projectos que se estudam e concretizam em horas, outros em dias ou em momentos chave e há ainda outros, que demoram meses ou anos a concretizarem-se. A nossa capacidade financeira é muito limitada, e temos vindo a adiar sucessivamente este projecto, mas existe mesmo a necessidade de criarmos ou iniciarmos pelo menos, este ano, a criação de um espaço móvel multifuncional. Um espaço que não seja apenas oficina, para trabalho e armazenamento de madeira e ferramentas, mas também um espaço para os trabalhos de electrónica e tecnologia que desenvolvemos no projecto paralelo, de combate à obsolescência programada. É um projecto que terá de ser concretizado em fases e convém que o mesmo, possa no futuro ser facilmente convertido numa casa sobre rodas, mais conhecida por tiny house.

Ainda não temos o puzzle todo montado na nossa cabeça, mas está para breve. Este é um projecto que temos vindo a adiar, mas ainda bem que assim o foi, pois agora temos uma noção melhor do que realmente necessitamos. Apenas temos de perceber as limitações com a serventia e a disposição no terreno para começarmos a planear e a ter uma noção real dos custos. Com o regresso do Sol e os trabalhos na rua, avançámos com a limpeza, arrumação e manutenção dos materiais e ferramentas que temos temporariamente no telheiro exterior, e a necessidade de um espaço de trabalho tornou-se evidente de novo. Ao mesmo tempo que trabalhávamos no telheiro a nossa pequenota, lá estava por perto com as suas importantes actividades de exploração, como andar de baloiço, jogar à bola, correr, apanhar flores e debulhar milho para dar à Galinha, entre outras. Ontem o dia foi todo na rua! 😉

Bálsamos Medicinais Ecológicos

Ao longo do ano vamos criando os nossos próprios produtos medicinais e armazenamos sempre uma parte, que disponibilizamos regularmente a quem nos deseja apoiar e contribuir de alguma forma para a evolução do projecto. Com a Primavera espreitar, aos poucos vamos reiniciando os trabalhos de recolha de flores e secagem para os produtos que ficarão prontos, daqui a alguns meses. Com o material que processámos nos meses anteriores e depois da extracção lenta pela acção do tempo, esta semana criámos renovados conjuntos de bálsamos medicinais ecológicos e já seguem hoje duas encomendas fresquinhas de bálsamos com velas de cera de abelha, para os nossos apoiantes! 😉 Obrigado e até já.

Há quatro anos.

Este mês celebramos o 4º ano do início dos trabalhos de limpeza neste pedaço de terra. Fizemos na altura e continuamos a fazer um trabalho de limpeza e regeneração, em que transformámos um antigo depósito de materiais e principalmente lixo, muito lixo, no que consideramos hoje, ser um pequeno paraíso ao qual chamamos casa. No processo de transformarmos problemas em oportunidades, criámos condições para viver confortavelmente mas de forma simples, tendo as condições básicas prontas a tempo, na altura, para podermos receber a nossa menina que viria a nascer em casa, 5 meses depois. Celebremos! Deixamo-vos algumas imagens do antes e depois! 😉

Um Janeiro mais Calmo

O mês que acabou de passar, foi mês de descanso e reflexão. Foi um mês para centrarmos as nossas energias no que pretendemos desenvolver e começar lentamente a preparar as actividades da próxima primavera. Foi também um mês com celebrações e que exigiu o retomar de alguns cuidados de saúde. Muitas vezes damos por nós a querer avançar com o que é preciso fazer para manter o projecto activo, mas o nosso próprio corpo e necessidade pessoal ficam para segundo plano. Estamos a tentar equilibrar as duas vertentes, pois sem nós activos e bem fisicamente e emocionalmente, não há projecto. Hoje no primeiro dia do mês de Fevereiro, demos início à criação de mais bálsamos medicinais, através dos quais, os nossos apoiantes poderão investir em nós e no desenvolvimento do projecto.

Podem saber mais sobre os nossos bálsamos clicando AQUI

Deixamo-vos de seguida algumas imagens que ilustram algumas das coisas que acabámos de referir.