Mãos na massa

Estivemos bastante ocupados com manutenções e restauros, nos últimos dias. Hoje, com o Solinho de manhã a aquecer os ossos, toca a ir para a rua mondar, cortar mato e libertar espaços para receberem mais árvores e arbustos. Esta zona no limite do terreno e à volta do círculo de infiltração de águas cinza estava, já fora de controle com as mais variadas espécies, já do nosso tamanho! Ainda não tivemos a possibilidade de investir numa roçadora boa a bateria, pelo que o trabalho, foi mesmo todo feito manualmente e apenas com a ajuda da gadanha e do ancinho. Depois do corte, procedemos como sempre à largada em todos os locais que precisavam de cobertura de solo. Desta forma devolvemos rapidamente nutrientes, ao mesmo tempo que protegemos o solo do sobreaquecimento e perda de humidade. Aproveitámos ainda para adicionar ao nosso pomar uma Romãzeira e uma Ginjeira! A antiga bananeira foi transformada em alimento e água suplementar para as outras plantas, tendo sido cortada em bocados e colocada na base de uma das árvores plantadas. Ainda há muito para cortar e devolver ao solo de forma a acelerar o processo, mas por hoje já chega! 😉

Primeira Quinzena de Abril

Nestas duas semanas e com toda a água que tem ficado retida no solo, temos observado um desenvolvimento exponencial das árvores frutíferas e das culturas da horta. Algumas plântulas anteriormente germinadas de semente, estão agora praticamente prontas para serem transplantadas para local definitivo. Temos muita coisa para colocar na terra, algumas perenes e muitas anuais. Nesta altura do ano, já vamos tirando algum alimento do espaço embora essa não seja para já, a prioridade máxima visto que apenas agora se está a iniciar a época mais produtiva. Existem outras necessidades inerentes à vida moderna, e sempre que possível vamo-nos dedicamos a todas as outras actividades complementares inerentes à manutenção do projecto e a actividades extra, que possam ser benéficas para a evolução do mesmo. Os petiscos estão na mesa, a hortelã já macera na agua ardente, tudo cresce na horta, a bichadada celebra e nós celebramos também a nossa chegada a este espaço, há 4 anos! Celembremos então! Até já! 😉

Há 4 anos, preparávamos o regresso a casa.

Estamos na recta final para a celebração dos 4 anos da chegada a este pedaço de terra. Depois do inicio do projecto em 2012, em Mafra, e algumas pedras no caminho, chegámos finalmente a este local em 2015. Amanhã celebramos os 4 anos do nosso regresso a casa, depois de nos termos visto privados da sua utilização, durante cerca de seis meses, no processo de descoberta de um novo destino. Durante este tempo, aqui vivemos, crescemos, nasceu a nossa filha e iniciámos uma nova fase da nossa vida, ao mesmo tempo fazemos o que podemos para regenerar este espaço e trazermos esperança a quem se inspira no nosso trabalho.

Esta semana estivemos bastante ocupados com actividades paralelas nas redes sociais, em actividades colaborativas e em actividades de voluntariado relacionadas com projectos em outras áreas. Cá por casa, a chuva regressou finalmente e temos de novo a dorna no topo, com mais de 1000l de água capturada. Quando o tempo não permite estar na rua a trabalhar no terreno, desenvolvemos actividades de restauro e manutenção de equipamentos, sejam electrónicos ou mobiliário que utilizamos em benefício do projecto ou que oferecemos sob a forma de serviço a apoiantes do projecto. A nossa menina começa também a dar os primeiros passos nas suas tarefas de limpeza e manutenção para perceber de pequenina o valor das coisas e o valor da reparação, ao invés do deitar fora e comprar novo! Obrigado pelas ofertas desta semana por parte de amigos, está a ser tudo posto a bom uso! 😉