Recusar, Reutilizar e Reparar.

Vivemos numa sociedade de consumismo e desperdício abismal, onde somos nós que cavamos a nossa sepultura diariamente. Se queremos mudança, precisamos de mudar os nossos hábitos, a nossa vida e a nossa casa. Continuo a observar diariamente quem deita equipamentos electrónicos nos contentores de lixo orgânico ou perto deles. Esta semana encontrei um monitor no lixo e trouxe-o comigo, pois ainda tive a esperança de o conseguir colocar em funcionamento. O meu instinto estava certo. Depois uma limpeza profunda, restauro estético e testagem do circuito de alimentação, confirmei a minha desconfiança.

Quem colocou o aparelho no lixo, não o fez porque deixou de funcionar, mas sim porque não lhe serve mais e como não serve mais, LIXO!!! Neste caso, podia ter doado a um projecto como o nosso, podia ainda ter trocado, vendido e em última análise entregar num centro de recolha e reciclagem. É este o exemplo que se quer deixar às próximas gerações, quando energia e materiais são descartados só porque sim? A pegada carbónica de qualquer aparelho é mais que justificação para os tentar manter vivos. Este é mais um que salvei do aterro, que está impecável a funcionar na perfeição. É um aparelho de 2004 com características muito interessantes incluindo um sistema de desmagnetização integrado.

Também em relação a mobiliário de madeira, com alguma dedicação e carinho é possível reparar peças para um número quase infinito de segundas vidas. O móvel que estamos a terminar de reparar estava também ele ao lado de outro contentor de lixo orgánico, todo ás peças e com várias mazelas e sistemas quebrados. Tratámos de recolher tudo, desmontar, lixar, colar e remontar. Falta apenas aplicar o óleo de linhaça aquecido com cera de abelha para lhe dar aquele toque final de peça acabada sem necessidade de utilizar verniz.

Esta é mais uma das formas de activismo ecológico. Ecologia, não é andar a comprar carros eléctricos ou aparelhos modernos que nos andam a vender como “ecológicos” ou “mais eficientes”. Acorda!

Leave a Reply