Produtos Naturais

Andamos já a recolher todos os ingredientes para os novos conjuntos de produtos naturais a apresentar no próximo inverno. Enquanto isso ainda temos disponíveis bálsamos fresquinhos, velas, mas agora um conjunto muito limitado de sabonetes. Vamos reduzir a oferta de produtos, investindo naqueles que têm mais procura, como é o caso do Eucalipto, a Tangerina, a Calêndula e a Alfazema. A partir de agora vamos simplificar o processo e as embalagens reduzindo ainda mais a nossa pegada. Este conjunto seguirá assim, amanhã, para um novo apoiante do projecto! Mais minimalista mas o mesmo toque especial de quem ama o que faz! 😉

O Nosso Jardim Comestível – Final de Julho

Muito trabalhinho e manutenção para cuidar a manter a nossa horta como parte do nosso jardim comestível! Desengane-se quem acredita nas fantasias de “implementar um sistema” e ir lá duas ou três vezes por ano “apanhar comida” como se vende em muitos cursitos! O trabalho é duro e constante mas os resultados aparecem para quem mete mãos na massa. Nos tempos infelizes que correm, é imperativo focar a nossa mente na terra como sustento e alimento do nosso corpo e espírito para os próximos meses. Muitas coisas lamentáveis estão a ser implementadas enquanto a maioria anda distraída com ilusões e muitas das respostas resistentes ao que aí vem, estão na nossa relação com a terra e com a natureza! Preparem-se para um inverno escuro e longo, utilizando agora mesmo as ferramentas que têm, no local onde estão e com os recursos a que têm acesso.

Primeiros passos na Apicultura

Depois de constatarmos que a colónia tinha crescido bastante e as nossas abelhas estavam com dificuldade em lidar com o calor nos últimos dias, intervimos para ajudar as nossas meninas a terem mais espaço disponível e favorecer o arrefecimento interno.

Deixamos algumas imagens do antes e um pequeno video com o antes e depois da intervenção, em que abrirmos o espaço completo da colmeia! Supercalmas, deixaram-me trabalhar relaxadamente e sem pressas. Coloquei novos topos com 1 cm de cera para lhe pegarem e levantei e movi o separador para o final abrindo a colmeia por completo. Em breve poderemos provar não o nosso mel, mas sim o mel delas. Queremos apenas que não se importem de partilhar uma pequena porção deste nectar dos deuses connosco.

Primeira quinzena de Julho

Temos andado sempre a abrir e apenas estamos mais parados nos últimos 3 dias por causa do calor. De resto tem sido cuidar e manter a horta, limpar sistemas, como foi o caso da área de captura de água da chuva / alimentador de água das galinhas ou ainda criar pequenas acendalhas com as podas das aromáticas.

Fizemos no início do mês, uma intervenção na casa das nossas abelhas, para aumentarmos a área interna visto que estavam já bastante saturados os quadros iniciais que disponibilizámos e as nossas meninas acusavam alguns sinais de calor. Em breve termos de aumentar ainda mais para a dimensão máxima interna e disponibilizar todos os 24 quadros, pois elas estão mesmo saudáveis e felizes e a expandirem a colónia de uma maneira brutal. Este processo tem ainda a vantagem de permitir um melhor arrefecimento da colmeia durante este período de calor.

De resto, tem sido colher, transformar e conservar parte da nossa produção. Sempre que possível um salto à praia para um mergulho no mar!

Está a compor-se a coisa! 😉

No mês de Junho

À medida que a nossa floresta comestível e medicinal vai crescendo, aproveitamos a sua área de protecção natural e disposição para recolocarmos velhos conceitos como é o caso do telheiro das ferramentas e lenha. Limpámos o terreno junto a um muro velho que foi alvo de intervenção, ao mesmo tempo que aproveitámos para optimizar a dinâmica do espaço.

Com vento a soprar de norte, fizemos a primeira grande poda do nosso maior eucalipto. Antes da chegada do verão devolvemos ao solo os nutrientes e água que o mesmo retirou do solo durante o seu ciclo de crescimento. Os troncos maiores serão seccionados e secos para serem usados com lenha durante o próximo inverno, enquanto a restante matéria, será triturada para ser utilizada como cobertura de solo. Este tipo de corte não mata a árvore permitindo que no próximo ano continue a produzir folha e ramos novos para continuar a manter a nossa necessidade e a do solo. O eucalipto isoladamente e fora de um sistema criminoso de produção extensiva é uma árvore maravilhosa, requerendo apenas um correcto manejo para se tornar uma excelente aliada de qualquer ecologista. Como diz o nosso querido Ernest, “água planta-se!”

Tirámos um tempinho para celebramos o dia da criança com os nossos meninos! Nada de prendas, sempre experiências! É esse o nosso lema! Os dias seguintes foram dias para controlar o material em excesso aproveitando para reformar e desimpedir caminhos ao mesmo tempo que aceleramos a criação de solo. Cortar, triturar, espalhar, limpar, nutrir!

Finalmente após 9 anos de projecto tivemos acesso a uma ferramenta crucial para nos poupar tempo e esforço. Foi-nos oferecida por uma querida amiga, uma roçadora em bom estado mas que estava parada por falta de uso. Assim que chegou, demos logo uma penteadela no terreno e nos acessos! O painel fotovoltaico já foi recolocado na posição de verão para aproveitar os preciosos amperes e as caleiras limpas e recolocadas depois de uma ventania que a soltou.

Andámos tb de volta da limpeza total de um depósito IBC de 1000l reutilizado que nos foi oferecido, para adicionarmos ao nosso sistema de captura de água da chuva. Foi todo desmontado, limpo interna e externamente e colocado no local definitivo. Em breve temos de adicionar a restante tubagem para finalizar a instalação. Precisamos de mais destes, muitos mais!

Na última semana foi mondar, germinar, transplantar, colher, preparar canteiros com composto novo e toca a plantar mais material! É imperativo continuar a produzir, aumentar o nível de processamento e armazenamento de alimentos sempre que possível! O que aí vem nos próximos meses vai obrigar-nos a todos a abrir os olhos, a largar as distracções e a meter as mãos na massa para ter o que comer. Por aqui nada de obrigações por enquanto, mas sim prazer de criar plantas, animais e crianças felizes! Este ano estamos a atacar forte e feio na preservação de alimento! Tudo o que for possível de transformar e preservar a longo prazo está a avançar. Concentrámo-nos especialmente em fruta em calda, geleias, purés e estamos a iniciar este ano a conserva em pickles. Faremos tb alguns doces mas não muitos.

Todos os momentos podem ser alturas de aprendizagem para os nossos meninos. Temos investido recentemente em técnicas de sobrevivencialismo e há poucos dias ensinámos por exemplo a converter por pirólise, pedaços velhos de algodão, em carbono. Desta forma, obtemos um produto transportável e disponível, com uma baixa temperatura de ignição e capaz ajudar a iniciar mais facilmente um fogo, para por exemplo, ferver água ou cozinhar numa situação de sobrevivência. Enquanto testámos o sistema, aproveitámos para fazer um cafézinho enquanto os meninos estavam de molho e à sombra a fugir do calor.

No inicio do mês celebrámos o aniversário da nossa menina! Este ano, criámos uma história fantástica e construímos um sistema de pistas e mapa para levá-la numa caça ao tesouro, que em tempos teria sido enterrado aqui no terreno por um pirata que atracou na costa! Foi muito giro e no fim claro, algumas surpresas aguardavam por ela, no interior! Ao fim do dia fomos refrescar e ver onde o pirata tinha atracado o navio!

E por aqui vamos! Até já

Quase no final de Maio

Este ano é o ano da bicharada! Há dias adicionámos mais três elementos à família das galinhas, na área dos animais! As também recentes companheiras abelhas, continuam o seu árduo trabalho de isolar o interior da sua casinha e finalmente voltámos ao ataque no nosso espaço! Foi abrir caminhos, remover os excessos, libertar conceitos, refazer zonas de passagem com matéria orgânica podada e preparar material para triturar. O nosso menino que detesta sapatos e só quer andar descalço, adorou o tapete de aromáticas nos caminhos!

Nos últimos dias andámos a tratar de limpar ferramentas, arranjar a horta, plantar, germinar, transplantar, mondar, regar… e por aí vai! Para uma horta que teve muito pouca manutenção nos últimos quatro meses, até que nem está nada má! Agora toca a enfiar mais comida na terra que já vai tarde para muitas das coisas que queríamos ter.

Para quem ainda está totalmente dependente do sistema, agora mais que nunca, é altura de meter mãos na terra, aprender a produzir pelo menos parte do próprio alimento e a conservá-lo para os próximos meses. Os tempos que se aproximam serão no mínimo desafiantes com a escassez de matérias primas, cereais de base e inflação que galopa na nossa direcção.