Out-Nov. 2019 – Colheitas e Horta

Plantações, sementeiras, propagações, germinações e transplantações, tem acontecido de tudo um pouco. Durante este último mês continuamos a tirar comidinha boa para nós e para as nossas galinhas. Mesmo com tudo o que há para fazer, rápidas visitas à horta para tratar de mantê-la e adicionar mais elementos é imperativo, para continuar a ter comida para o inverno. Tudo está a crescer a desenvolver-se bem, mas infelizmente de vez em quando, temos a visita de surpresa de uma das nossas galinhas mais gulosas, que salta a vedação e revira, destrói ou come sempre alguma coisa. Pelo menos parte do nosso canteiro de trigo barbela e também algumas acelgas foram as situações mais graves. Felizmente chegámos sempre a tempo de evitar males maiores.

Nov. 2019 – Evolução do Terreno

Durante o último mês recebemos imensa chuva. Parte foi colectada no sistema de captação, outra foi dirigida para a zona de infiltração, mas toda a que atingiu o terreno e a horta, veio dar um boost enorme no crescimento das plantas. Está tudo verdinho, plantas super saudáveis, a desenvolverem-se bem e nós a colaborar com a natureza, para podermos não só ajudar na regeneração do solo, como para produzirmos cada vez mais, parte da nossa necessidade alimentar. Segue a galeria de imagem que vos guia do Dia 1 de Novembro a até ao dia de hoje.

Série de Actualizações

Com tudo o que tem sido necessário fazer nas últimas semanas, foi complicado encontrar tempo para parar um pouco e colocar conteúdos aqui no blog. Temos comunicado mais pelas redes sociais, mas chegou a altura de actualizarmo-vos relativamente à evolução do espaço e actividades que realizámos durante o último mês. Para isso, vamos colocar ainda hoje, uma série de publicações distintas para não carregarmos tudo apenas num único post.

Não percas nada do que temos para te mostrar! Subscreve já! 😉

A Água, As Plantas, As Árvores e os Animais

Este ano temos vindo apostar na observação e na manutenção, com vista à melhoria e eficiência dos sistemas. Os poucos dias de chuva que tivemos permitiram atingirmos a cota máxima do nosso pequeno sistema de captura de água, mas já tratámos de canalizar o excedente para a vala de infiltração / lago natural de forma a optimizar a captura e retenção nos locais desejados. Na horta temos conseguido estender a estação em alguns produtos e ao mesmo tempo estamos a preparar o solo para as novas culturas de inverno que ainda temos por introduzir. A Vedação no galinheiro teve direito a um pequeno upgrade de forma a podermos produzir mais perto da mesma sem correr o risco das nossas meninas se alambazarem ao que lá temos plantado. O solo está mais rico, as plantas mais fortes e as árvores a crescerem a olhos vistos. Os animais também procuram o nosso espaço e vemos diariamente o resultado nas interações dos gatos com os ratos, os sapos com as lesmas e os caracóis, as aranhas com os insectos, as borboletas e as lagartas que as antecederam a trabalharem em conjunto com todos os outros polinizadores garantindo novos ciclos. Todos passam por cá e deixam os seus contributos para o equilíbrio do sistema.

Composto de Humanure e o Nosso Trigo Barbela

Recentemente desmontámos um dos compostores itinerantes, que estava no fim do processo de maturação para termos disponível matéria para aplicar nos canteiros a serem refeitos em breve na horta de inverno. A natureza com a nossa ajuda e em apenas ano e meio, transforma cerca de 6 meses das nossas necessidades numa considerável quantidade de composto, que está agora preparado para incorporar os nossos canteiros de produção alimentar. Há mais 6 anos que temos este processo a funcionar perfeitamente e sem dúvida o destino final das necessidades humanas, não é na água, nos rios ou no mar, mas sim no solo. Aproveitando esta matéria, tratámos de preparar um novo canteiro onde semeámos trigo barbela já com o processo de germinação activo para mais facilmente enraizar. Foi semeado no referido composto de humanure húmido bem curtido e coberto com palha velha que veio também do compostor! Na próxima primavera esperamos colher o nosso primeiro trigo “morto-vivo” totalmente biológico. Esta á a nossa primeira experiência com um trigo quase extinto, que já se deixou de produzir várias vezes, daí se dizer que está morto ou está vivo (morto-vivo). É um cereal português muito antigo, não modificado, e com um nível muito baixo de gluten, que dá uma palha maior e melhor que o trigo convencional. Aparentemente ele não precisa de grandes cuidados e diz-se que é mto resistente a condições difíceis, daí tb ser o melhor trigo que podemos reproduzir e comer, pois está tb completamente adaptado ao nosso clima e solo e por conseguinte, a nós! Só se produz em muito pequena escala por muito poucos agricultores. Está morto na generalidade, pois pelo que há registo existe apenas um produtor no Ribatejo, outros em Trás-os-montes e um na Lourinhã. Mas na nossa zona e á nossa escala, esperamos que se mantenha bem vivo e que tenhamos sementes para disponibilizar aos nossos apoiantes no próximo ano!