As últimas duas semanas

Estão sempre muitas coisas a acontecer por aqui, e estas duas semanas foram preenchidas com várias actividades de manutenção do espaço, restauros electrónicos e informáticos, algumas celebrações e muito trabalho no exterior. Como forma de transformarmos problemas em oportunidades e ajudarmos o solo na sua regeneração, desbastámos dois dos nossos eucaliptos para lenha e fizemos trituração de ramos e folhas para cobertura de solo. Num sistema de policultura de espécies integradas também com eucaliptos, podemos criar rapidamente matéria vegetal, rica carbono, água e os demais nutrientes que irão ser depositados no solo para acelerar os processos regenerativos. Muitos olham para o eucalipto como um problema, mas na realidade o problema não é esta árvore, o problema não são as alterações climáticas e o problema não são os fogos. O problema é o afastamento do soberano mundo natural , uma má gestão do território e dos recursos associada à corrupção de pessoas e valores, para através de várias práticas danosas para o meio ambiente como a aplicação de fitofármacos e as explorações intensivas em monocultura, dar alimento à ganância dos “donos do mundo” em nome de um crescimento económico ilimitado. Felizmente a natureza não precisa de ser salva, nós é que precisamos de ser salvos, principalmente de nós próprios e da nossa ignorância.

Como forma de melhorarmos anualmente o nosso banco de sementes e por conseguinte, a nossa segurança alimentar, já contamos com diversas sementes, de onde destacamos com orgulho o nosso milho bio de terceira geração, ou seja o mini crioulo, mas também os nossos próprios híbridos que surgiram este ano. Já os debulhámos e secámos e estamos a proceder ao processo de armazenamento. Em breve teremos saquetas de sementes disponíveis para quem desejar investir no nosso projecto, ao mesmo tempo que tem a oportunidade de manter viva uma semente verdadeiramente biológica e natural.

Depois da manutenção bi-anual da zona de saída de águas cinza, instalámos recentemente a nova caleira na oficina móvel e procedemos a uma limpeza no interior da charca/zona de infiltração, que está agora pronta, para ser um novo ponto de retenção e infiltração de água. Aqui iremos receber preciosas centenas de litros de água da chuva, através deste segundo sistema de captura.

No espaço dos animais, removemos e preparámos a matéria que cobria o solo para integrar o recipiente de compostagem. Procedemos ainda ao corte e poda de ramos e folhas indesejadas e separámos ainda a palha do chá principe, dividindo os rebentos novos para os podermos propagar! A nossa menina também esteve muito empenhada a separar folhas de eucalipto para fazermos novos produtos!

Este mês comemoramos o sétimo ano vivencial do projecto Permabio. Fez este mês de Setembro, 7 anos, que ainda sozinho iniciei o projecto efectivo, avançando com planeamento do abrigo que permitiria dar início a esta grande aventura. Pelo caminho cruzei-me com algumas pessoas cruciais e com uma companheira à altura, o que nos permitiu iniciar duas vezes a construção de um espaço que poderíamos sentir ser a nossa casa. Há 4 anos, migrámos para o espaço actual, onde entre muitas coisas boas, fomos pais de uma linda menina que veio adicionar preocupações e desafios, mas também muita riqueza e felicidade. Para quem segue o nosso trabalho, sabe que têm sido anos de esforço, trabalho e sacrifício, com algumas pedras pelo caminho, mas sem nunca perder o foco. Sem dúvida, sentimos que estamos no caminho certo e sabemos para onde queremos caminhar. É desta forma que queremos viver, por isso celebremos. Celebremos todas as conquistas e projectemos todas as outras que estão por vir. Obrigado também a todos os que têm contribuído para a nossa evolução como pessoas e para a regeneração deste espaço natural que não nos servirá tanto, mas sim à futura geração! 

Não percas nada do que temos para te ensinar! Subscreve já! 😉

Há 4 anos, preparávamos o regresso a casa.

Estamos na recta final para a celebração dos 4 anos da chegada a este pedaço de terra. Depois do inicio do projecto em 2012, em Mafra, e algumas pedras no caminho, chegámos finalmente a este local em 2015. Amanhã celebramos os 4 anos do nosso regresso a casa, depois de nos termos visto privados da sua utilização, durante cerca de seis meses, no processo de descoberta de um novo destino. Durante este tempo, aqui vivemos, crescemos, nasceu a nossa filha e iniciámos uma nova fase da nossa vida, ao mesmo tempo fazemos o que podemos para regenerar este espaço e trazermos esperança a quem se inspira no nosso trabalho.

Esta semana estivemos bastante ocupados com actividades paralelas nas redes sociais, em actividades colaborativas e em actividades de voluntariado relacionadas com projectos em outras áreas. Cá por casa, a chuva regressou finalmente e temos de novo a dorna no topo, com mais de 1000l de água capturada. Quando o tempo não permite estar na rua a trabalhar no terreno, desenvolvemos actividades de restauro e manutenção de equipamentos, sejam electrónicos ou mobiliário que utilizamos em benefício do projecto ou que oferecemos sob a forma de serviço a apoiantes do projecto. A nossa menina começa também a dar os primeiros passos nas suas tarefas de limpeza e manutenção para perceber de pequenina o valor das coisas e o valor da reparação, ao invés do deitar fora e comprar novo! Obrigado pelas ofertas desta semana por parte de amigos, está a ser tudo posto a bom uso! 😉

Novo Compostor de Resíduos Humanos

Acabámos de montar com a nossa menina, mais um compostor de “humanure”. Simples, rápido e barato, feito com material reutilizado e mais que provado, como solução para um grave problema na nossa sociedade, a incorrecta gestão dos dejectos humanos utilizando água potável como transporte. Há 6 anos que compostamos as nossas necessidades e introduzimos o resultado, dois anos depois, na zona de produção alimentar que irá fertilizar os alimentos que iremos comer. A nossa menina já o faz desde que nasceu e é natural para ela não utilizar água potável para descarregar as suas necessidades para um local onde “alguém” terá de resolver o problema. Esse é o futuro dos nossos filhos e não o modelo actual! Acorda e Muda!

Fazer acontecer, mas saber parar, observar e contemplar!

No decorrer das nossas actividades, há sempre tempo para parar, observar e contemplar a beleza que nos rodeia e o pequeno paraíso que estamos ainda longe de concluir, mas que tem sido um prazer fazer acontecer. A luz desta época tem um tom especial, bem como os seus reflexos. A temperatura do Sol convida a estar na rua e esta semana chegámos inclusive a almoçar na nossa mesa exterior móvel, mesmo no meio do quintal. Tudo está verdinho e muito bonito, as Calêndulas, a Borragem e a Erva pata estão de volta para ajudar a nutrir os polinizadores. As capuchinhas, as alfaces e os alhos francês crescem a olhos vistos e estamos já a preparar novos canteiros para receberem mais culturas de inverno. Gostávamos ainda de ter tempo para preparar um espaço novo para semear trigo barbela! Vamos ver o que conseguimos fazer nas próximas semanas! 😉

Na última semana estivemos a preparar os produtos para a Feira de Natal, ao mesmo tempo que fomos avançando com a manutenção do espaço. Entre podas de árvores pequenas e monda de ervas indesejadas, fizemos manutenção na rede do galinheiro, limpámos a capoeira, transplantámos ou plantámos definitivamente algumas plantas e tudo o resto que vai sendo necessário de forma a manter o espaço com alguma harmonia. Nem sempre conseguimos chegar a tudo quando queremos, mas todos os dias são dias de trabalho, seja de limpeza, manutenção ou upgrade! 😉

 

 

Nos Intervalos da Chuva

Esta semana temos mantido maioritariamente actividades no interior, aproveitando para restaurar um antigo leitor de cassetes dos anos 80, que se encontrava com inúmeros problemas.

Ontem a chuva deu tréguas e tivemos a oportunidade de irmos assistir a várias palestras no primeiro TEDx Peniche. Obrigado a todos envolvidos na organização e concretização desta primeira edição. Foi um dia de partilha e de “vínculos” criados com velhos e novos amigos. Um obrigado especial ao participante que através da sua generosidade ofereceu o bilhete que nos permitiu estarmos presentes.

Hoje, ainda no intervalo de tempo sem chuva, foi meter mãos na massa, mal acordámos. Subi para o telhado, limpei o painel fotovoltaico, corrigi a sua posição para uma inclinação de 70º, para a maximizar a captura de energia e aproveitei ainda para limpar o interior de todas as tubagens de extracção de fumos. De seguida, passámos para a remoção da cúpula do yurt para podermos enfiar a capa de telhado velha, que mandámos recozer. Desta forma, pretendemos poupar e estender a duração da capa nova que ficou agora mais protegida por baixo da mais antiga. Por fim, voltou a montar-se a cúpula e fixou-se a capa exterior.

Nos breves instantes antes de começar a chover de novo, atacámos ainda na poda de alguns elementos que foram logo triturados e deixada a estilha no mesmo local, para acelerar desta forma, o processo de regresso de nutrientes à terra. Queimadas é para gente ignorante! Aqui trabalha-se com a natureza e não contra ela.

A nossa menina aproveita para brincar na rua enquanto observa na horta, que as culturas de inverno estão a desenvolver-se bem e que a galinha, completamente renovada com esta passagem de ano, está a dar conta das suas tarefas e explorações, deixando diariamente o seu ovo e controlando a bicharada no terreno. Em breve temos de tentar encontrar-lhe umas companheiras.

Como grande tarefa antes da chegada definitiva do inverno, fica apenas a faltar a limpeza e aplicação do protector de madeira no atrelado WC gerador e no abrigo hobbit.

Novo Abrigo Móvel para o Espaço Infantil

Todos os nossos abrigos, são móveis e desmontáveis. Há algum tempo, iniciámos um projecto de abrigo móvel infantil, para o terceiro aniversário da nossa menina, mas tivemos de interromper a sua execução, devido a complicações de saúde familiar. Agora, três meses depois e já com a situação controlada, retomámos a sua execução e hoje de manhã, antes que chegasse o calor, montámos o nosso pequeno teepee de 2m de diâmetro. Este é um abrigo móvel, típico dos povos nativo-americanos e adequa-se perfeitamente aos espaços infantis, que estamos a integrar no projecto. A entrada conta com vista para a horta e para as galinhas.

Infelizmente não conseguimos encontrar esta espessura de madeira tosca, em paus com 2,5m de comprimento, ou seja, tivemos de nos contentar com 2,2m e embora tenha ficado com uma margem pequena no sistema de encaixe dos mesmos, parece que para o efeito, funciona.

Ainda faltam terminar pormenores de fixação e de tensão do tecido, mas está completamente utilizável. A nossa menina foi logo a correr lá para dentro com alguns brinquedos, almofada e livros! Sendo assim, parece que temos mais um conceito, bem sucedido! 😉

Gostaste do Projecto? Não percas nada do que temos para te mostrar! Subscreve já! 😉

Upgrade WC – Arrefecimento e Instalação Eléctrica 12v

Finalmente após dois anos de termos criado a nossa mini wc seca desmontável e transportável, conseguimos reunir todo o material que reutilizámos agora para  fazermos um upgrade ao sistema. Passámos a contar com uma bateria dedicada de 12v, que através de dois interruptores independentes permitem accionar uma ventoinha de extração de calor e odores ligeiramente mais forte que a antiga (ajudando a climatizar o conceito no verão), ao mesmo tempo que alimenta ainda uma calha de luz LED, fornecendo luz a qualquer hora do dia ou da noite, de forma independente! 😉

Gostaste da dica? Não percas nada do que temos para te ensinar! Subscreve já! 😉

Chegadas e a Partidas

E é assim! Novos projectos surgem, outros terminam. Pessoas vêm e outras vão, objectos chegam feios e saem bonitos. Aceitamos a chegada e partida de tudo, no tempo certo e tendo em atenção que se fez o melhor possível, com o que se tem e onde se está, para que tudo se torne melhor na saída em relação à entrada. Ao mesmo tempo que hoje anunciamos a chegada e montagem de um chapéu novo para o Yurt que veio restaurar e embelezar o nosso conceito de habitação, o equilíbrio diz-nos que está na hora de disponibilizarmos a nossa fiel companheira para quem deseje partir à aventura.

É uma carrinha Mercedes MB130 de 1982, está impecável de motor, tem 147.000km, 2400cc de 70 e qq coisa cavalos.  Média de 8l de gasóleo aos 100. Não são obrigatórios cintos atrás. De livrete tem “até 9 lugares”, muito importante pois pode circular com apenas os dois da frente, com 5, 7 ou com os 9. Como nunca escondemos, precisa de trabalho exterior a nivel de chapa/carroçaria, algo que se a carrinha estiver protegida com telheiro como nós temos ou em garagem, pouca diferença faz para quem a for usar a não ser certos pormenores estéticos. Foi toda reparada por dentro inclusive na cabine frontal e adicionados vários sistemas, incluindo o módulo de arrumação/banco/cama que se monta em segundos e que se separa do chão de madeira e cortiça permitindo ser facilmente retirado.

O anúncio de venda está no OLX com todos os detalhes em: https://bit.ly/2k8pZpu

O trabalho de hoje com a ajuda do nosso amigo João:

Optimização, Manutenção Inesperada e Resiliência

Esta última semana foi repleta de actividades, pois estamos a tentar fazer o máximo possível para compensar os meses mais quentes que não irão permitir que desenvolvamos actividades na rua, dentro do horário de maior calor e exposição solar. Com o sol mais “alto” no céu, chegou a hora de reposicionar o painel solar, colocando-o com uma inclinação aproximada de 30º. Desta forma optimizamos a captura de energia pelo sistema e ganhamos ainda preciosos amperes para acumular nos nossos pontos de armazenamento.

Já que tivemos de trabalhar em altura, aproveitámos para remover, limpar e adaptar novos parafusos na cúpula do Yurt. Infelizmente descobrimos recentemente que a nossa tela do telhado atingiu o seu limite. com quase 6 anos de utilização, começando a descoser-se em vários pontos o que nos vai obrigar a uma despesa extra que não esperávamos neste momento, para procedermos à substituição da mesma. De maneira a evitar infiltrações, colocámos temporariamente peças de madeira no telhado a cobrir as uniões descosidas, enquanto aguardamos pela nova tela.

A limitação de estarmos dependentes de alguém, para que possamos ter uma nova tela de cobertura, veio demonstrar-nos que temos os próximos 5 anos para começar a pensar em criar uma solução de cobertura mais duradoura a longo prazo ou em criar um novo conceito habitacional, o qual possamos nós mesmo resolver este tipo de situação. Resumindo. Este é mais um ponto a trabalhar na resiliência do yurt. Felizmente todos os outros conceitos já tiveram este pormenor em atenção.

Dia do Trabalhador – Celebrando Conquistas

Por aqui, dias de semana. fins de semana ou feriados é tudo igual. O dia descanso é quando se quer ou quando se pode. Não existem dias marcados e as comemorações são realizadas de acordo com as nossas conquistas pessoais e não de acordo com o instituído por um governo ou religião. Celebrando as conquistas laborais de quem está no sistema, hoje, dia do trabalhador, celebramos a conclusão da vedação e portada de acesso da área dos animais. Com eles, estabeleceremos parcerias em que ambas as partes beneficiarão, ao contrário das “produções/explorações animais” com uma atitude de subjugação de outra espécie para benefício próprio. Este é o verdadeiro espirito do futuro dia do trabalhador, o dia em que se celebram conquistas, fazendo o que se ama, rodeado de quem tem significado na nossa vida e fora do sistema capitalista patrão-empregado. Bom dia do trabalhador! 😉

Gostaste da Dica? Subscreve agora! 😉

Reutilizar Material Tem os Seus Custos

Avançámos mais um pouco na construção da nossa capoeira móvel, mas reutilizar material, tem os seus custos pois o tempo despendido nesta actividade nunca é contabilizado como gasto. O facto de conseguires recolher materiais que já têm outros cortes e muitas vezes, como se tratam de sobras descartadas por erros de corte, obriga-te primeiro a acertares todas as peças, para depois conseguires ter uma base certa e perpendicular ou paralela, para as medidas das peças que pretendes criar, sairem o mais certas possível. Felizmente com tempo tempo, imaginação e algumas sobras de material tens a oportunidade de criar novos conceitos.

Por exemplo, hoje adicionámos dobradiças e pegas reutilizadas de outras construções antigas, na capoeira. Fixámos tampas laterais de sobras de contraplacado de 20mm, um fundo de aglomerado de 20mm na base do chão flutuante, isolámos certos pontos com um resto de silicone, no interior. Criámos ainda, a portada traseira de contraplacado tricapa que se abre totalmente por meio de dobradiças para limpeza e remoção do tabuleiro ao nível da cintura. Ainda vamos criar essa peça, que vai tornar a manutenção mais célere, sem posições desnecessárias e em esforço físico. Faltam ainda vários pormenores, como a adição de perfis em todo o exterior, as ferragens da porta, a escada de acesso, a trave interior onde poderão dormir elevadas da base interna, a lixagem a pintura definitiva para proteger o conceito e o referido tabuleiro de acrílico ou metálico conforme o que conseguirmos inventar.

Reutilizámos também uma estrutura metálica, uma base redonda de OSB e 4 tijolos burro, que permitem que o ar circular livremente por baixo do conceito, ao mesmo tempo que o adaptam a oscilações causadas por vento mais forte sem que se danifique a estrutura. Por outro lado, mantemos o conceito elevado do solo, longe de humidade, de possíveis predadores ou roedores e sem a necessidade de adicionar mais material (madeira). Não estando fixa, permite facilmente ser alterada a sua localização, de acordo com a necessidade ou condições climatéricas! Pode ainda ser transportada no interior de uma carrinha comercial.

Queres acompanhar mais de perto? Subscreve para receberes todas as novas publicações no teu mail! 😉

O Que Realmente Queres, Tu Consegues!

Um dia mais perto de concluir o nosso conceito móvel de capoeira. Hoje, já com porta hobbit e sistema de retenção, bem como, com um telheiro fantástico e bem comprido, para evitar que a chuva atinja a parede fontal e traseira de madeira. O telheiro traseiro é articulável e permitirá abrir o conceito para limpeza, manutenção e principalmente, retirar ovos! 😉 O que realmente se quer, consegue-se! 😉

Já subscreveste as nossas notícias para nos seguires mais de perto? Subscreve agora! 😉

Usa o que tens, no local onde estás e de acordo com o que sabes

Nos últimos meses, criámos de raiz, dois projectos de capoeira que não chegaram a avançar. Mesmo depois de simularmos e optimizarmos custos e material, não há situação nenhuma, que bata a reutilização e a gratuitidade de materiais. Foi-nos oferecida ontem, parte uma bancada de armazenamento de pão com alguns anos que tem estado esquecida e armazenada numa velha garagem. Automaticamente visualizei o produto final e o que conseguiria fazer daquela velha peça. No nosso pequeno armazenamento de restos de madeira, encontrámos os materiais que nos faltavam e assim de repente, estamos bem encaminhados, no processo de construção da nossa nova capoeira transportável. Vai ter capacidade para três ou quatro galinhas, que é o suficiente para as nossas necessidades. Este conceito. é completamente realizado com sobras de material, peças reutilizadas e até os parafusos são velhos e reutilizados. O nossa dica é, usa ou reutiliza o que tens, no local onde estás e de acordo com as tuas competências! 🙂

Ainda falta criarmos as restantes peças, adicionar janelas, respiradores, criar a abertura da porta e a porta em si, adicionar pés e telhados, proteger a madeira dos elementos, criar um sistema simples de limpeza e renovação das camas, e ainda, criar os sistema de captura de água da chuva e alimentação que serão acoplados na mesma. Até agora é este o progresso, que é mais demorado, devido a adaptações da madeira reutilizada de forma a ter utilidade neste projecto.

Gostaste da dica? Não percas nada do que temos para te ensinar! Subscreve já! 😉

Porquê pagar, quando podes tu mesmo, construir?

Com o bom tempo de regresso, há que aproveitar bem para colocar o projecto a funcionar de novo. Durante a manhã fizemos mais xarope de sabugueiro, Deu-se uma limpeza geral e arrumo no telheiro da lenha, refez-se caminhos e cobriram-se plantas com mulch. Como estava com saudades de meter a mão na massa e mexer nas minhas ferramentas, toca de fazer um baloiço à maneira para a Gaia, apenas com material reutilizado. A única coisa comprada foram os cerra-cabos que permitem facilmente alterar ou desmontar o sistema. Porquê pagar um baloiço de plástico e metal com uma brutal pegada carbónica e um potencial material para aterro em final de vida, quando podes tu mesmo construir com materiais naturais que muitas vezes já tens em casa? Este é feito apenas com imaginação, corda natural e madeira. Os cerra-cabos são os únicos elementos extra e que terão sempre função, Não há fim de vida para este conceito! 😉

Até agora o gatinho que estamos a tentar salvar, tem respondido bem ao nosso apoio, mexe-se bastante, reclama alto quando quer papinha e dorme como um anjo quando está satisfeito! Ronrona sempre depois da barriga cheia e acompanhada de massagem! 😉

Constrói o teu futuro mesmo que caminhes sozinho e ao teu ritmo

Quando caminhas sozinho e ao teu ritmo, há coisas que vão acontecer mais rápido pois não tens entraves e há outras que sabemos que terás de esperar por elas, seja por limitação financeira, logística, prioridades ou por teres de respeitar o tempo biológico e geológico da natureza. Há três anos começamos do zero neste espaço, com o terreno completamente rapado de onde removemos imenso lixo e que até aos dias de hoje vamos recolhendo quando o encontramos pontualmente, debaixo do solo. Ainda não conseguimos dedicar a maior parte do nosso tempo, à produção de alimentos hortícolas anuais, pois fomos investindo principalmente em criar condições e adicionar perenes sempre que possível. Concentrámo-nos em fazer um correcto manejo das espécies exponenciando o seu desenvolvimento, em proteger e ajudar a construir solo, em plantar árvores, em propagar medicinais e aromáticas, e acima de tudo em transformar “desperdícios” em oportunidades como é o caso do nosso maravilhoso composto e vermicomposto.

Agora, começamos a sentir que o espaço se está a compor mais a sério e que os espaços antes vazios, estão a cada dia, a serem preenchidos com mais comida, medicinais, fruta, aromáticas e ervas finas. Mais animais vêm até nós e hoje pela primeira vez uma libélula enorme andou por aqui juntamente com todos os outros insectos habituais. Em tudo o que olhamos, há vida em movimento, diferentes espécies de pássaros ocupam as diferentes árvores e entoam diferentes chilreares que nos dizem que estamos no bom caminho. Estamos muito felizes com os resultados e estamos confiantes que daqui para a frente vai ser sempre a melhorar na transformação deste antigo depósito de materiais e lixo numa paradisíaca floresta de alimentos. É possível sim, com amor, dedicação e sacrifício, como em tudo na vida, seja na relação com um(a) companheiro(a) ou na criação de um filho(a).