Chuva, chuva e mais chuva

Esta noite choveu muito e a chuva vinha puxada a vento, o que resultou em algumas infiltrações. A chuva tem sido muita nas últimas semanas, pelo que os conceitos não têm conseguido secar em alguns pontos críticos , mesmo sendo aquecidos a lenha. Há três casos que têm de ir sendo vigiados. Os rebordos de silicone da janela pequena da oficina móvel, a parede virada a sul da wc/gerador e a ligação da porta do yurt com o chão. No primeiro caso reforçámos ainda hoje o silicone que veda a união da chapa sandwich com o aro da janela. No WC/Gerador, depois deste verão quente, a madeira da parede virada a Sul, seca e contrai deixando mini fissuras que permitem que água puxada a vento, migre para o interior humedecendo a tela de protecção e algumas das madeiras da estrutura da parede. Por ainda não ter sido possível aplicar o protector de madeira porque ainda não parou de chover e sabendo desta limitação, nunca isolámos a parede e sempre que acontece isto, basta abrir o conceito e deixar secar naturalmente. Agora ao final do dia acendemos a bailarina para tomar um banho e o calor gerado pelo cepo, secou completamente essas pequenas infiltrações. Por fim, a porta do yurt, tem sido algo que nos têm preocupado pois a água escorre pelo exterior, pelas laterais entre a tela e a porta, e fica a moer junto ao chão, que vai humedecendo o OSB e lentamente vai migrando para o interior. Hoje foi dia de resolvermos este problema, começando por desmontar os resguardos internos, limpando e removendo a humidade em excesso. Depois de tudo limpo e menos húmido, foi altura de passar ao exterior onde fabricámos três peças personalizadas e de raiz, utilizando pedaços de metal reutilizado, para aplicarmos nas laterais e na base da porta. Vamos testar nos próximos dias a ver se é desta que fica tudo resolvido. Hoje foi daqueles dias que não se deseja a ninguém e só quem mete mãos na massa é que dá valor. Foi das 9h00 ás 17h00 sem parar, almocei eram 17h30 mas tinha de ser, pois esta noite vem mais chuva. Parece que a solução ficou muito boa, resta estarmos atentos nos próximos tempos. O final do dia por aqui foi magnifico com um céu maravilhoso. Aqui ficam imagens que refletem o trabalho deste dia.

Espaços com os quais sonhávamos, mas onde agora sonhamos.

É com um brilho renovado que quase em final de ano, olhamos em contemplação para a vida que desenhámos, planeámos e construímos em torno da auto-suficiência. Referimo-nos nesta publicação, especialmente aos espaços com os quais sonhávamos, mas onde agora sonhamos. Ao fim de 4 anos, o abrigo hobbit será finalmente ocupado com a função para a qual foi projectado, ou seja, ser o quarto/estúdio da nossa menina. Além de todo espaço exterior que tem por sua conta, neste refúgio ela pode receber, descansar, ler, desenhar, brincar, dançar, ou seja tem agora um espaço exclusivo, destinado ao desenvolvimento da sua criatividade e à sua independência. Vamos ainda dormir na mesma divisão durante alguns anos, mas a transição está iniciada. Até ao final deste ano o projecto ainda vai passar por algumas mudanças e adaptações, com uma novidade que revelaremos a seu tempo! O Sol sempre volta a brilhar, mas como não houve Verão de São Martinho este ano, esperamos que o tempo dê tréguas durante pelo menos uma ou duas semanas, para secar tudo e para podermos tratar as madeiras dos conceitos em breve e antes que chegue o inverno a sério! Vamos ver se temos sorte. Entretanto vamos aproveitando para ler sempre que possível e sobretudo para projectarmos os próximos passos desta linda aventura! 😉

Mantendo o Projecto em Funcionamento

Além de tudo o há para fazer num projecto como o nosso, se queremos que funcione, há sempre muito trabalho relacionado com limpeza, arrumação, organização e manutenção. Este mês foi exemplo disso. Arrumações no telheiro exterior, no telheiro da lenha e na oficina, Manutenção e limpeza de ferramentas. Limpeza e reposicionamento do painel solar. Corte de árvores que colocavam em risco alguns conceitos devido ao vento forte. Corte de plantas, ramos e matéria vegetal para triturar e fazer cobertura de solo e muitas outras actividades. Foi necessário também construir algumas peças em madeira, como por exemplo uma plataforma móvel com rodas para artigos ou caixas mais pesadas que sejam necessárias estarem disponíveis para mover na oficina devido ao espaço limitado. Construímos ainda uma reprodução de uma peça de madeira original da nossa cama, que se partiu recentemente, evitando termos de adquirir uma nova peça de mobiliário. Todas as sobras são sempre utilizadas para alimentar os sistemas a lenha não produzindo qualquer resíduo. Neste último caso depois do trabalho executado tomámos ao final do dia, um belo banho alimentado exclusivamente por essas sobras! 😉

Série de Actualizações

Com tudo o que tem sido necessário fazer nas últimas semanas, foi complicado encontrar tempo para parar um pouco e colocar conteúdos aqui no blog. Temos comunicado mais pelas redes sociais, mas chegou a altura de actualizarmo-vos relativamente à evolução do espaço e actividades que realizámos durante o último mês. Para isso, vamos colocar ainda hoje, uma série de publicações distintas para não carregarmos tudo apenas num único post.

Não percas nada do que temos para te mostrar! Subscreve já! 😉

As últimas duas semanas

Estão sempre muitas coisas a acontecer por aqui, e estas duas semanas foram preenchidas com várias actividades de manutenção do espaço, restauros electrónicos e informáticos, algumas celebrações e muito trabalho no exterior. Como forma de transformarmos problemas em oportunidades e ajudarmos o solo na sua regeneração, desbastámos dois dos nossos eucaliptos para lenha e fizemos trituração de ramos e folhas para cobertura de solo. Num sistema de policultura de espécies integradas também com eucaliptos, podemos criar rapidamente matéria vegetal, rica carbono, água e os demais nutrientes que irão ser depositados no solo para acelerar os processos regenerativos. Muitos olham para o eucalipto como um problema, mas na realidade o problema não é esta árvore, o problema não são as alterações climáticas e o problema não são os fogos. O problema é o afastamento do soberano mundo natural , uma má gestão do território e dos recursos associada à corrupção de pessoas e valores, para através de várias práticas danosas para o meio ambiente como a aplicação de fitofármacos e as explorações intensivas em monocultura, dar alimento à ganância dos “donos do mundo” em nome de um crescimento económico ilimitado. Felizmente a natureza não precisa de ser salva, nós é que precisamos de ser salvos, principalmente de nós próprios e da nossa ignorância.

Como forma de melhorarmos anualmente o nosso banco de sementes e por conseguinte, a nossa segurança alimentar, já contamos com diversas sementes, de onde destacamos com orgulho o nosso milho bio de terceira geração, ou seja o mini crioulo, mas também os nossos próprios híbridos que surgiram este ano. Já os debulhámos e secámos e estamos a proceder ao processo de armazenamento. Em breve teremos saquetas de sementes disponíveis para quem desejar investir no nosso projecto, ao mesmo tempo que tem a oportunidade de manter viva uma semente verdadeiramente biológica e natural.

Depois da manutenção bi-anual da zona de saída de águas cinza, instalámos recentemente a nova caleira na oficina móvel e procedemos a uma limpeza no interior da charca/zona de infiltração, que está agora pronta, para ser um novo ponto de retenção e infiltração de água. Aqui iremos receber preciosas centenas de litros de água da chuva, através deste segundo sistema de captura.

No espaço dos animais, removemos e preparámos a matéria que cobria o solo para integrar o recipiente de compostagem. Procedemos ainda ao corte e poda de ramos e folhas indesejadas e separámos ainda a palha do chá principe, dividindo os rebentos novos para os podermos propagar! A nossa menina também esteve muito empenhada a separar folhas de eucalipto para fazermos novos produtos!

Este mês comemoramos o sétimo ano vivencial do projecto Permabio. Fez este mês de Setembro, 7 anos, que ainda sozinho iniciei o projecto efectivo, avançando com planeamento do abrigo que permitiria dar início a esta grande aventura. Pelo caminho cruzei-me com algumas pessoas cruciais e com uma companheira à altura, o que nos permitiu iniciar duas vezes a construção de um espaço que poderíamos sentir ser a nossa casa. Há 4 anos, migrámos para o espaço actual, onde entre muitas coisas boas, fomos pais de uma linda menina que veio adicionar preocupações e desafios, mas também muita riqueza e felicidade. Para quem segue o nosso trabalho, sabe que têm sido anos de esforço, trabalho e sacrifício, com algumas pedras pelo caminho, mas sem nunca perder o foco. Sem dúvida, sentimos que estamos no caminho certo e sabemos para onde queremos caminhar. É desta forma que queremos viver, por isso celebremos. Celebremos todas as conquistas e projectemos todas as outras que estão por vir. Obrigado também a todos os que têm contribuído para a nossa evolução como pessoas e para a regeneração deste espaço natural que não nos servirá tanto, mas sim à futura geração! 

Não percas nada do que temos para te ensinar! Subscreve já! 😉

Mais uma semana de trabalho “non-stop”

Esta semana e meia foi bastante preenchida, com inúmeras actividades de confecção alimentar, produtos de higiene e medicinais, reparações, limpezas, etc… É raro o dia em que se pára e com a chegada do Outono e das primeiras chuvas, ainda mais há para fazer. Principalmente verificar a protecção de bens que estão no exterior, verificar o funcionamento dos escoamentos de águas, estar atento a possíveis infiltrações, adequar, melhorar ou reparar determinados pormenores, ou seja, há sempre algo a acontecer e o tempo não chega para tudo. Mesmo assim, estamos a preparar novos conjuntos de produtos naturais a tempo das vossas encomendas natalícias, temos aprendido imenso com novos desafios de reparação e manutenção, temos plantado e armazenado alimento para os próximos meses, tendo já iniciado a recolha do milho para secar e armazenar as sementes, fizemos geleia de marmelo e marmelada, temos licor de hortelã feito por nós, com a perspectiva de disponibilizar em quantidade limitada a alguns apoiantes do projecto… Bem! É cansativo, mas gratificante. Além do mais temos a oportunidade de acompanhar e ver a nossa menina a crescer de dia para dia, não castrando o seu desenvolvimento, a auto-expressão e valorizando as actividades espontâneas não direccionadas. Respeitamos a intuição da nossa menina, a sua curiosidade e a selecção das actividades não interferindo, dizendo como se faz ou não faz, ou dando exemplos sendo nós a fazer por ela. Permitimos momentos de frustração, bem como, apoiamos momentos de explosão artística que não são cópias do que vê no exterior, mas sim verdadeiras manifestações do que sente no interior!