E de repente, tudo mudou.

Temos hesitado em publicar aqui no blog, pois temos tanto para dizer e mostrar sobre o trabalho do último mês, mas algo nos prende nestes tempos difíceis, É difícil também, sair de um modo de defesa e segurança para pararmos e reflectirmos sobre o que realmente nos rodeia. Não temos mordaças mas as palavras temem em sair. O distanciamento social tornou-nos a todos mais sozinhos, o medo domina o dia-a-dia, as máscaras na rua desfiguram os rostos que conhecíamos e aquele abraço quente, tornou-se num olá rápido e frio. Embora estejamos bem e nos sintamos num mundo à parte que não pára, o contraste com que lidamos no exterior não é de todo natural. Fazemos o melhor para nos mantermos mentalmente saudáveis e ocupamo-nos com o muito que há por fazer e com a criação dos nossos filhos. Infelizmente sabemos demais e ás vezes isso também é um fardo, pelo que apenas desejamos que consigamos juntos despertar colectivamente todos aqueles que ainda dormem, pois se nos mantivermos adormecidos, tudo o que temos vindo a fazer pelo futuro da nossa espécie será em vão.

Há um mês estávamos a celebrar o quinto ano da nossa chegada a este espaço, que na altura teve de ser rapado para poder ser realmente limpo de todo o lixo e entulho, mas agora, cinco anos depois, está vibrante, cheio de vida e cada dia mais perto de ser a quinta/floresta que tanto desejávamos. Este último mês germinámos, semeámos, plantámos, podámos, desbastámos e constantemente cuidámos e mantemos o espaço. Temos tirado comida vital para a nossa alimentação e de ano para ano, com a nossa crescente experiência e com a maturidade do solo vamos tendo mais e melhor. Fizemos também algumas mudanças no que respeita a telecomunicações, pois eliminámos o telefone móvel e estamos no processo de remover completamente redes sem fios. A comunicação entre os diferentes espaços do projecto começaram a ser feitos por walkie-talkie e tem sido um processo libertador, que visa eliminar alguns focos de poluição electromagnética. Nos últimos tempos temo-nos dedicado a controlar a altura das ervas em certos pontos, apostado na poda de algumas aromáticas e refeito caminhos que estavam cada vez mais estreitos. Recebemos também bastante material vegetal de uma vizinha, que juntando ao nosso, foi um dia de volta do triturador.

Felizmente, depois de tanto tempo em casa, vimos como sinal de progresso, a recente recomendação da actividade física ao ar livre. Então recentemente, fomos até ao local mais perto de nós, onde há espaço suficiente para uma bela caminhada higiénica e praticar natação! Neste momento o país está novamente a reabrir e nós cá estamos para continuar a nossa missão. Boa sorte a todos pois o pior ainda não passou. Ficam aqui algumas imagens do nosso trabalho e resultados do último mês: