Update dos últimos 30 dias

É verdade! Passou mais de um mês, desde o último post aqui no blog. Estes últimos 30 dias foram uma montanha russa de emoções e de muita coisa a acontecer ao mesmo tempo. Desde o cuidar e estabelecer algum alimento de inverno na horta, lidar com tempestades fortes e infiltrações, ao preparar todos os produtos para as entregas natalícias ao mesmo tempo que aguardamos a chegada de um novo filho e se criam prendas de Natal exclusivas para a filha mais velha. Durante os últimos dias do ano, o tempo melhorou e consegui finalmente dedicar algum tempo à trituração de podas e proteção dos canteiros de produção alimentar.

Entretanto parámos a maior parte das actividades no espaço, aproveitando para fazer alguns restauros e reparações electrónicas, enquanto o nosso menino não anunciava a sua chegada. Passou o Natal e nada, passou o Ano Novo… nada… Entretanto, no dia de Reis, o nosso bebé decidiu iniciar o processo de chegada a esta família. Ficámos a conhecê-lo no dia 7 de Janeiro, no conforto do nosso lar, sob a influência de uma lua quase cheia. Um menino saudável de 4,200Kg trazido ao mundo por uma mãe valente, que respeitou o seu corpo, apoiada por uma filha e um pai presentes que ajudaram em todo o processo. Tudo isto, sob o olhar atento da nossa amiga enfermeira, que nos acompanhou. Assim passámos a ser quatro elementos a viver de forma natural, resgatando o poder sagrado do parto e da mulher, como um acto familiar e não um como acto médico. Agora avançamos com mais calma, pois a logística mudou e estamos no período de adaptação. Agradecemos por todos os contactos e parabenizações. Estamos cansados, mas bem e ficamos a aguardar as vossas solicitações de ajuda, colaboração ou necessidade de prestação de serviços para este ano. Até já! 😉 Paulo, Maria, Gaia e Noa

Recusar, Reutilizar e Reparar.

Vivemos numa sociedade de consumismo e desperdício abismal, onde somos nós que cavamos a nossa sepultura diariamente. Se queremos mudança, precisamos de mudar os nossos hábitos, a nossa vida e a nossa casa. Continuo a observar diariamente quem deita equipamentos electrónicos nos contentores de lixo orgânico ou perto deles. Esta semana encontrei um monitor no lixo e trouxe-o comigo, pois ainda tive a esperança de o conseguir colocar em funcionamento. O meu instinto estava certo. Depois uma limpeza profunda, restauro estético e testagem do circuito de alimentação, confirmei a minha desconfiança.

Quem colocou o aparelho no lixo, não o fez porque deixou de funcionar, mas sim porque não lhe serve mais e como não serve mais, LIXO!!! Neste caso, podia ter doado a um projecto como o nosso, podia ainda ter trocado, vendido e em última análise entregar num centro de recolha e reciclagem. É este o exemplo que se quer deixar às próximas gerações, quando energia e materiais são descartados só porque sim? A pegada carbónica de qualquer aparelho é mais que justificação para os tentar manter vivos. Este é mais um que salvei do aterro, que está impecável a funcionar na perfeição. É um aparelho de 2004 com características muito interessantes incluindo um sistema de desmagnetização integrado.

Também em relação a mobiliário de madeira, com alguma dedicação e carinho é possível reparar peças para um número quase infinito de segundas vidas. O móvel que estamos a terminar de reparar estava também ele ao lado de outro contentor de lixo orgánico, todo ás peças e com várias mazelas e sistemas quebrados. Tratámos de recolher tudo, desmontar, lixar, colar e remontar. Falta apenas aplicar o óleo de linhaça aquecido com cera de abelha para lhe dar aquele toque final de peça acabada sem necessidade de utilizar verniz.

Esta é mais uma das formas de activismo ecológico. Ecologia, não é andar a comprar carros eléctricos ou aparelhos modernos que nos andam a vender como “ecológicos” ou “mais eficientes”. Acorda!

O serralheiro, o canalizador, o designer, o gajo dos computadores, etc…

O carpinteiro, o serralheiro, o canalizador, o agricultor, o fotógrafo, o designer, o arquitecto, o electricista, o gajo dos computadores, etc…, todos eles somos nós, quando decidimos viver desta forma. As competências que ainda não dominamos vão sendo adquiridas gradualmente com o objectivo de cada vez mais estarmos auto suficientes no que diz respeito a vários serviços que possamos necessitar. Aqui, quando é preciso resolver, criar ou construir, metemos as mãos na massa e se não sabemos, vamos aprender.

As últimas duas semanas têm sido sempre a abrir e desde então resolvemos as pequenas infiltrações que detectámos depois de semanas e semanas de chuva. Por falar em água, esta semana, instalámos finalmente água quente na cozinha. Este foi um daqueles projectos que por não ser prioritário, era constantemente adiado. Temos agora completo o sistema de água, conectado à bailarina a lenha. No inverno vai dar imenso jeito, pois será possível depois dos banhos, evitar qualquer desperdício e aproveitar completamente a restante água quente para alimentar a cozinha. Água quente essa que é produzida sempre que possível utilizando objectos de madeira e restos, que estão em fim de vida por já não serem reutilizáveis. Assim, não seguem para um caixote do lixo e inevitavelmente para um aterro. São desfeitos e utilizados como lenha. A cinza resultante da queima é utilizada ainda para produzir lixívia, ser utilizada nas sanitas secas ou incorporar os compostores.

Tratámos ainda de dar apoio a um projecto parceiro actualizando o seu site, conteúdos e material gráfico de suporte aos artigos novos que estes amigos têm disponiveis.

Ainda no departamento gráfico, temos finalmente prontas as nossas próprias t-shirts, desenhadas e planeadas por nós e impressas pelo nosso novo parceiro que trabalha com técnicas manuais de impressão em serigrafia, utilizando tintas amigas do ambiente e tudo isto em peças de roupa em algodão orgânico certificado. A nossa parceria passou também por ajudá-los a desenvolver a sua exposição e para isso filmámos e editámos o seu primeiro video de apresentação!

As T-shirts encontram-se já disponíveis para encomenda (impressão e entrega a partir do meio de Janeiro) em: https://bit.ly/341SPfO

Oficina de Trabalho – Reparações e Restauros

Educação Ambiental e Ecologia, não é apenas tratar de árvores, plantas e solo, produzir o seu próprio alimento, gerir os seus resíduos e construir a sua própria casa, mas também uma visão mais alargada e completa do consumo e descarte dos objectos que utilizamos no dia a dia e de como a tua acção, conhecimentos e skills podem melhorar essa experiência e como podes travar o consumo, dando uma 2ª, 3ª ou 4ª vida a muitos objectos. Falo de uma verdadeira reutilização e combate à obsolescência programada que nos é imposta, antes de irem definitivamente parar a um sótão, a um aterro ou algures por aí, como muitos de nós, infelizmente podemos constatar . Para este tipo de trabalho, a oficina de trabalho móvel, tem-se revelado uma grande mais valia para o projecto, especialmente este Outono chuvoso, pois além do armazenamento e organização que permite, está dividida em várias áreas de trabalho. Tornou-se essencial para o processo de fabrico dos produtos naturais que fazemos para nós e para os nossos apoiantes, mas dentro dela contamos também com zonas de restauro, manutenção e reparações electrónicas. Há ainda espaço dedicado a testes e produção fotográfica, video, desenho 3D e conteúdos digitais, os quais utilizamos no nosso projecto e muitas vezes como moeda de troca ou prestação de serviços a projectos parceiros. Este mês além de algumas recuperações retro, ajuda a portáteis e telemóveis de amigos ou familiares e de termos salvo alguns objectos do aterro, tratámos de melhorar as nossas competências a nível de dessoldagem e aproveitamento componentes, bem como nos desafiámos a calibrar um monitor profissional de forma a obtermos a melhor qualidade possível de imagem. Se têm material que já não precisam, que ainda está funcional, que pode até ser antigo mas funciona, não mandem fora ou para a reciclagem. Mostrem-nos o que têm para doar, pois certamente podemos ajudar a dar-lhes uma segunda vida! 😉

Mantendo o Projecto em Funcionamento

Além de tudo o há para fazer num projecto como o nosso, se queremos que funcione, há sempre muito trabalho relacionado com limpeza, arrumação, organização e manutenção. Este mês foi exemplo disso. Arrumações no telheiro exterior, no telheiro da lenha e na oficina, Manutenção e limpeza de ferramentas. Limpeza e reposicionamento do painel solar. Corte de árvores que colocavam em risco alguns conceitos devido ao vento forte. Corte de plantas, ramos e matéria vegetal para triturar e fazer cobertura de solo e muitas outras actividades. Foi necessário também construir algumas peças em madeira, como por exemplo uma plataforma móvel com rodas para artigos ou caixas mais pesadas que sejam necessárias estarem disponíveis para mover na oficina devido ao espaço limitado. Construímos ainda uma reprodução de uma peça de madeira original da nossa cama, que se partiu recentemente, evitando termos de adquirir uma nova peça de mobiliário. Todas as sobras são sempre utilizadas para alimentar os sistemas a lenha não produzindo qualquer resíduo. Neste último caso depois do trabalho executado tomámos ao final do dia, um belo banho alimentado exclusivamente por essas sobras! 😉