Um Novo Ciclo de Celebrações

Demos início ao novo ciclo de celebrações de Final de Ano, com a montagem em família, do nosso conceito minimalista de Árvore de Natal. Somos gratos pela onda de generosidade característica desta época e queremos agradecer em especial, as ofertas/doações de equipamentos que os nossos amigos Riikka e Pedro, fizeram recentemente. Vamos dar uma segunda vida a esses equipamentos, restaurando-os e/ou reutilizando-os em futuros projectos evitando que vão parar um aterro ou que sejam desmantelados enquanto estiverem a funcionar em condições. Uma das ofertas foi um velhinho portátil, que é uma robusta máquina de guerra de 2003, mas que já tratámos de começar o processo de limpeza, para podermos passar à fase seguinte da sua recuperação. Obrigado por estas prendinhas antecipadas! 😉

Novas Aprendizagens, Produtos Naturais e a Evolução da Horta

Esta semana temo-nos focado na realização de novas aprendizagens e desenvolvimento de competências que complementam a nossa formação. Aos poucos vou explorando mais e mais sobre electrónica, reparações e manuseamento de ferramentas e novas técnicas.

Estamos a criar de novo, os nossos conjuntos exclusivos de produtos naturais que estarão disponíveis em breve, para os amigos do projecto que investem em nós, ajudando dessa forma a desenvolver o espaço. Mais info em: https://bit.ly/2pgxNZi

Temos também investido no cuidado e manutenção das espécies vegetais, pois com a chuva intermitente, crescem tanto as plantas desejáveis como todas as outras e é necessário andar sempre em cima para não virar selva impenetrável.

Resumo… Parar, nunca! 😉

Gostaste da dica. Subscreve agora! 😉

Dolorosa Evolução

A última semana, foi uma semana onde infelizmente, tivemos de lidar com a dor da perda e com a frustração de lidar com coisas que estão fora do nosso controlo e da nossa vontade. O nosso gatinho Badé, que tão carinhosamente acolhemos durante as últimas semanas, foi um lutador. A mãe abandonou-o (prevendo talvez a sua fragilidade) e nós fizemos de tudo para o ter e manter bem. Infelizmente a natureza, não quis que assim fosse e ele partiu inesperadamente, deixando-nos com menos um pedaço. O Badé nas poucas semanas de vida que teve, foi amado, acarinhado e cuidado, mas custou-nos termos presenciado a sua partida, o que aconteceu com sofrimento dele e nosso. No dia em que partiu, decidimos que ficaria connosco, num dos locais mais bonitos do espaço, perto do Baloiço da Gaia e no meio de muitas Calêndulas. Dedicámos-lhe este espacinho e fizémos-lhe uma placa em Xilogravura que colocámos imediatamente na frente da sua campa, como forma de última homenagem e para o recordarmos com o mesmo carinho, sempre que passarmos por ela.

Um obrigado especial à nossa amiga Ana, que desde que encontrámos o Badé, nos  enviou leite, biberão e comida, ajudando e ensinando a cuidar o melhor possível dele e com a qual eu estive pessoalmente em comunicação desesperada e a chorar baba e ranho, na hora em que morte decidiu roubar-mo. Beijo amiga. obrigado por tudo

Até já, meu querido Badé!

P.S. – Obrigado a todos os amigos que nos deixaram lindas palavras pelo facebook. Tal como referiram, esta dolorosa evolução chegou sob a forma cedência e compromisso, transformação e dor, culpa e responsabilidade, aceitação e acima de tudo, muito amor e carinho.

Dia do Trabalhador – Celebrando Conquistas

Por aqui, dias de semana. fins de semana ou feriados é tudo igual. O dia descanso é quando se quer ou quando se pode. Não existem dias marcados e as comemorações são realizadas de acordo com as nossas conquistas pessoais e não de acordo com o instituído por um governo ou religião. Celebrando as conquistas laborais de quem está no sistema, hoje, dia do trabalhador, celebramos a conclusão da vedação e portada de acesso da área dos animais. Com eles, estabeleceremos parcerias em que ambas as partes beneficiarão, ao contrário das “produções/explorações animais” com uma atitude de subjugação de outra espécie para benefício próprio. Este é o verdadeiro espirito do futuro dia do trabalhador, o dia em que se celebram conquistas, fazendo o que se ama, rodeado de quem tem significado na nossa vida e fora do sistema capitalista patrão-empregado. Bom dia do trabalhador! 😉

Gostaste da Dica? Subscreve agora! 😉

Apresentamo-vos o Badé

Como este é o ano da bicharada, já percebemos que além das galinhas, o gatinho preto que nos foi presenteado pela própria mãe na sexta-feira 13 passada, e que resgatámos da morte, vai provavelmente ficar cá por casa. Eu só espero que quando o “Badé” crescer, não raspe ou rasgue nenhuma tela, não se meta com as galinhas e não me vá mexer na horta, senão está tramado comigo. Um grande obrigado à nossa amiga Ana que nos tem dado dicas preciosas e até nos enviou comida de emergência, um biberão e ainda outras coisas, que nos permitiram salvar esta vidinha! 😉 Hoje, com cerca de três semanas, ele parece forte, anda (gatinha), trepa a tudo, já vai comendo papa sólida, devora o biberão e arranha toda a gente enquanto as suas necessidades não estão satisfeitas. Salta constantemente da caixa para andar a explorar ou à nossa procura. A origem do nome Badé, tem um significado especial para nós como família, pois a Gaia, quando ainda balbuciava, e não falava como fala hoje, sempre que via um gato, seja fisicamente ou numa ilustração, automaticamente dizia “Badé”. E pronto, este é o Badé! 😉

P.S. – Se alguém tiver uma caixa de transporte e/ou uma caixa de areia com peneira, que não use e que não se importe de nos ceder, o Badé agradece! 😉

Um daqueles dias!

Hoje esteve um dia maravilhoso por aqui, parecia quase primavera. Com o céu descoberto iniciámos a manhã com uma caminhada num percurso aqui perto. De regresso tratámos do almoço e o resto da tarde foi passado em família, na rua a cuidar de algumas plantas da horta e outras que temos em vaso a caminho de serem plantadas na primavera. Os espinafres estão a dar de novo, os limões e as laranjas estão aí. As nêsperas já vêm a caminho e o sabugueiro está todo a rebentar e em flor. As figueiras e os loureiros mais pequenos já estão a dar sinal e o novo limoeiro já tem três mini limões!

Por fim distribuímos as misturas de água da chuva com a urina que recolhemos em plantas que têm maiores necessidades de nutrientes. É muito bom o que se sente quando somos completamente auto-suficientes na gestão dos nossos resíduos humanos. Compostamos toda a matéria sólida, que é mais tarde incorporada na produção de alimento. Diluímos em água da chuva e distribuímos os resíduos líquidos pelo terreno. Tudo isto sem causar qualquer dano, sem utilizar água potável no transporte das nossas necessidades e sem a ligação a uma fossa ou sistema de esgotos poluente. Aqui não há desperdício de recursos preciosos, tudo é aproveitado e ficam por cá, a auxiliar na regeneração e melhoria do espaço! 😉

Recebendo Família

Esta semana ao mesmo tempo que fazíamos a manutenção dos conceitos recebemos a visita dos meus pais que deram uma ajuda preciosa, seja a brincar e a cuidar da neta enquanto trabalhávamos com afinco, ou mesmo metendo as mãos na massa, lixando e pintando connosco! 😉 Ainda nos trouxeram um novo Limoeiro e uma Laranjeira que plantámos em família e que a Gaia fez questão de ir regar interrompendo as suas “tarefas” na sua nova cozinha exterior feita com materiais reciclados ou reutilizados! 😉

Haverá melhor creche/escola que esta?

Haverá melhor creche ou escola que aquela que prepara para a vida, para os afectos, para o amor, onde as aprendizagens são feitas naturalmente e voluntariamente com a orientação dos dois elementos de maior vínculo afectivo? Quando decidimos mudar de vida, tínhamos em mente podermos um dia dar à nossa filha tudo aquilo que estamos a dar. Tempo, atenção, carinho, dedicação, brincadeiras e experiências ricas em significado, às quais a maior parte das crianças da sua idade não têm acesso, seja por ignorância, por desinteresse e também por falta de tempo dos pais. As aprendizagens surgem da sua vontade e curiosidade, sem necessidade de “motivações externas”, os nomes das coisas surgem da necessidade de os utilizar, as palavras surgem naturalmente no processo de aprendizagem da Língua, os cheiros e o sabor das plantas, das flores, das bagas, dos vegetais, são testados in loco através de todos os seus sentidos e as tarefas de manutenção do espaço são realizadas por iniciativa própria, onde a rega, a colheita de frutos e sementes, a captura de elementos invasores como caracóis, é feita através de brincadeiras, reproduzindo o exemplo de quem a acompanha. Cada refeição é feita de raiz e com a sua participação, utilizando alimentos reais, com alguns acabados de apanhar e ao mesmo tempo que ajuda na confecção, experimenta cada um individualmente trabalhando as papilas gustativas e aprendendo a gostar de alimentos saudáveis e com real valor nutritivo. Nada de comidas processadas ou doces, nada de comida contaminada com pesticidas e organismos geneticamente modificados. As aventuras no exterior são como um Safari, partindo à descoberta de outras realidades centrando-se da mesma forma na vivência e experimentação, mas aplicada a diferentes elementos, como é o caso da praia, onde a energia e o som de cada onda, percorre o corpo com uma sensação de entusiasmo, renovação e ao mesmo tempo de medo do desconhecido. Onde cada recanto explorado na rocha é motivo para iniciar conversas com quem nos cruzamos ou simplesmente para mais tarde recontar o episódio de descoberta transmitindo o entusiasmo que sentiu durante o mesmo. Esta é apenas uma pequena parte do trabalho que fazemos com a nossa menina e pela evolução que vamos presenciando todos os dias, temos a certeza que tal como no passado, quando as crianças eram criadas no seio da família, esta “creche” é a melhor que lhe podemos dar! 😉

Energia e Eficiência

Catalisar, armazenar, gerir, optimizar e conservar, são verbos que aplicamos a todas as formas de energia. Nos últimos dias temos despendido de bastante energia pessoal, com o trabalho de restauro na carrinha. Sempre que as condições são favoráveis, armazenamos a energia que o Sol e o nosso sistema fotovoltaico permitem. No dia-a-dia gerimos, optimizamos e conservamos pela forma como a gastamos, abdicando de transformadores a 220v de uso ineficiente e convertendo os aparelhos eléctricos que necessitamos para uso directo a 12v, utilizando a energia eficientemente. As plantas do nosso jardim fazem-no de forma perfeita e agradecem o nosso impulso aproveitando o máximo de recursos que podem para se desenvolver.

Na sequência do mesmo assunto, hoje procedemos ao restauro e à conversão de uma máquina de depilar da Braun, com cerca de 20 anos. Tinha deixado de funcionar há algumas semanas e depois de aberta e identificado o problema, tratámos de a reparar e aproveitámos ainda para eliminar o transformador e ligar directamente ao quadro eléctrico a 12v. É bastante económica, gastando em potência máxima apenas 3,6w ou seja 16 vezes menos que uma lâmpada de incandescência de 60w.

Também nós, precisamos de carregar as baterias internas e com o calor que se fez sentir hoje,  foi dia de usufruir de um merecido descanso à sombra da figueira na cama de rede e no interior do abrigo hobbit, que em dias de verão, são os locais mais frescos e com mais sombra no nosso espaço.

Ao fim do tarde, uma visita à praia e um mergulho no mar para libertar, expandir e abastecer! Ao observar conscientemente o que nos rodeia, constatamos que a própria água do mar, ao recuar na areia, utiliza o caminho mais eficiente e de menor resistência, formando os padrões dendríticos que se podem ver nas imagens 😉

Visitas cá em Casa e Piquenique no Parque

Nos últimos dias temos recebido algumas visitas, nomeadamente a nossa amiga Riikka com os seus meninos, que vieram até cá brincar e lanchar, e ainda trouxeram alguns brinquedos e roupa para a Gaia! O nosso amigo Luís, também veio até cá dar umas dicas na recuperação da carrinha e ainda ficou mais um pouco, para um momento de convívio acompanhado de um cafézinho e xarope de sabugueiro! 😉

Hoje foi o nosso dia para irmos passear um pouco, levando a carrinha até ao parque D.Carlos I nas Caldas da Rainha, onde fizemos um piquenique, passeámos, brincámos no parque infantil e por fim, fomos até casa do nosso amigo João e Karolien do projecto minicasas portugal, fazer uma breve visita e beber um cházinho depois do almoço!

Obrigado a todos! 😉

Cama de Rede e Desidratações

Com a entrada da nova estação, está oficialmente aberta a época da cama de rede! É verdade, mesmo que ainda não esteja sempre agradável no exterior, viver num yurt tem esta vantagem, podemos sempre montá-la no interior! Para apoiar a cabeça nada como as nossas velhinhas almofadas de algodão feitas por nós, com enchimento de lã de ovelha reutilizada. 😉

Chegou a altura de colocar uma protecção na cúpula para reduzir a intensidade dos raios solares mais intensos no interior e aproveitar os últimos dias para recolher aromáticas e medicinais e utilizando o antigo forno solar para fazer a desidratação das mesmas como forma de preservação. Para isso basta deixar uma pequena abertura por onde poderá escapar o excesso de temperatura e o vapor de água. Passadas três horas no máximo cá estão as nossas ervas desidratadas e prontas para serem armazenadas ou utilizadas no fabrico dos nossos produtos ecológicos.

 

Dia de Verão

Hoje esteve um autêntico dia de verão! Que calor! O dia começou bem cedo com o cuidar e o regar das plantas mais sensíveis. A meio da manhã já tínhamos a limpeza e o arejamento dos conceitos concluído e o nosso modesto sistema fotovoltaico já estava a full power e a carregar todos os dispositivos com bateria. Aproveitámos ainda para carregar um banco de energia externo a partir do inversor que restaurámos o ano passado. À hora do almoço já contava com três duches de água aquecida pelo Sol no chuveiro exterior! 😉

Da parte da tarde aproveitámos o bom tempo, para mais actividades em família. Fomos até à praia com a nossa carrinha e aproveitámos para dar o primeiro mergulho do ano no mar! De regresso, fomos à mata recolher caruma e umas pernadas de eucalipto para fazermos os nossos bálsamos e sabonetes naturais. Ao chegarmos, tratámos de cobrir  o solo de um dos nossos acessos com a caruma que recolhemos. Carrinha limpa e arrumada, toca a tomar um último duche para fechar o dia em beleza. Por fim o descanso e a luz do Sol a desaparecer gradualmente na nossa cúpula! Até amanhã.

Limpezas, Aquecer conceitos e Cobrir Caminhos

Durante os últimos dias fizemos limpezas gerais em todos os conceitos, recebemos mais lenha e aproveitámos para aquecer os espaços no sentido de libertar alguns resquícios de humidade que pudessem ainda permanecer das chuvas dos últimos tempos. Hoje e já depois de dois dias mais quentinhos colocámos a carrinha a bom uso e fomos buscar umas belas sacadas de caruma ao pinhal.  Pelo caminho ainda passámos pela praia para sentir a energia do mar e do vento, deixando a nossa menina correr pela areia molhada. No pinhal, recolhemos caruma em vários pontos de forma a não desnudar o solo e de regresso, foi espalhá-la nos caminhos do projecto por onde circulamos. para defini-los ao mesmo tempo que protegemos o solo que se encontrava despido devido à circulação intensiva nos mesmos. O carreiro de acesso ao chuveiro exterior também foi coberto. Aos poucos queremos cobrir todas as áreas de circulação com este material natural, abundante e gratuito! 😉

Bem-vindo Sol!!!

Este inverno tem mandado o nosso espírito abaixo, mas nada como estas abertas para renovar forças e trabalhar com a terra. Logo desde cedo. estendemos a roupa para secar com o Sol, o vento e o cheiro das flores que nos rodeiam. Que aroma!!! O dia foi passado inteiramente na rua, a nossa menina andou também a ajudar nas tarefas à sua maneira e ainda deu uns passeios no seu carrinho todo o terreno e no carrinho de mão.

A bateria está carregada com este Sol fantástico. A dorna está cheia e tem sido bastante usada na lavagem de mãos ou ferramentas e como forma de diluir o fertilizante natural que produzimos. Hoje arrumámos também parte dos materiais que ainda temos na rua, juntámos toda a madeira no telheiro provisório e até ao final do dia continuámos com os trabalhos de separação de lixo e limpeza do espaço destinado à futura oficina. No processo descobrimos que a bola de cimento que encontrámos faz 25 anos que foi ali colocada. Como sabemos? Alguém colocou a data.. O porquê nunca saberemos. Apenas sabemos que existia aqui um barracão degradado e cheio de lixo que desmontámos há quase dois anos quando aqui chegámos.

Ainda deu tempo para fazer um conjunto de velas para a nossa vizinha Luísa e ir entregar-lhe juntamente com dois sabonetes redondos simples de azeite e no final do dia de trabalho, nada como capturar algumas imagens com o Sol a beijar e a despedir-se de nós e dos nossos conceitos, seguido de um banho de água aquecida a lenha, no chuveiro exterior. Parece que amanhã também vai estar bom! 😉

 

Frio, Vento e Chuva! Tempo para Gordices

Com o clima dos últimos dias, nada como ficar por casa e aproveitar o calor da salamandra para fazer papas de aveia, café, chá, pão, pizzas e biscoitos. Aproveitámos ainda para moer sementes de linhaça com o nosso moinho manual e utilizarmos o resultado como substituto do ovo nas nossas aventuras gastronómicas naturais e não processadas! 😉

Carrinha, Caminhos, Ferramentas e Eficiência 12v.

Durante esta semana estivemos ocupados a finalizar todos os aspectos relacionados com a inspecção da nossa carrinha de trabalho. Felizmente e como tratámos de resolver tudo o que havia para resolver durante o passado mês e meio, temos neste momento a nossa carrinha inspeccionada até Março de 2018! 😉 Sendo assim aproveitámos para recolher mais caruma no pinhal para continuarmos a cobertura dos caminhos de terra, aproveitando ainda para armazenar ramos secos que utilizamos na queima inicial nos nossos sistemas a lenha.

Esta semana, pelo meu aniversário foram-nos doadas mais três peças antigas para recuperar. Esperamos um dia, ter um espaço dedicado para armazenar e organizar devidamente todas as nossas ferramentas, num género de oficina móvel! 😉

Por fim, libertámo-nos de dois monitores multifunções a 220v, que segundo o nosso plano pessoal de eficiência energética, trocámos finalmente por um monitor/tv LED que permite ser utilizado a 12v directamente do painel solar, com um consumo fantástico e super eficiente de 22w (um terço de uma lâmpada incandescente). Este monitor/tv permite continuar a fazer a testagem de máquinas do génio da maçã como monitor externo e como parte integrante do sistema de jogos retro a 12v que tenho vindo a desenvolver nos últimos meses. Será ainda utilizado no âmbito de situações de formação para visionamento de imagens ou videos de forma eficiente e off the grid!

Ainda este mês, iniciámos os planeamentos de logística e materiais para o forno a lenha, a capoeira e os canteiros elevados. Há muito por fazer, o tempo é pouco, mas em breve saberão mais! 😉

Diversidade

Diversidade é algo muito importante tanto para o mundo natural como para a actividade humana. Por cá começamos a sentir de novo o bicho do planear, estudar e preparar elementos a introduzir no nosso espaço em 2017. Temos vindo a estudar o sistema de canteiros a utilizar na horta e hoje no Abrigo Hobbit, em família, iniciámos o estudo da futura capoeira com ajuda da nossa artista de serviço! 😉 Ao mesmo tempo, fazem-se trabalhos de manutenção, como a reparação do portão danificado há umas semanas pelo vento forte, a observação da evolução do material nos compostores ou o corte e largada de ervas mais altas para permitir que o Sol incida em plantas mais rasteiras. Podam-se árvores e recolhem-se ramos para ficarem no telheiro a secar e futuramente alimentar os nossos sistemas de lenha. Brinca-se lá fora ao som dos passarinhos e dos gatos com o cio e aproveita-se o Sol para secar a roupa, carregar o sistema energético da casa e todos os aparelhos electrónicos com baterias. Ao mesmo tempo as nossas baterias internas carregam também e para acabar em beleza, nada como um belo banho de água bem quente, aquecida a lenha na nossa bailarina! 😉 O dia hoje foi bastante diverso e o bom tempo desta semana tem sido animador contrariamente ao que virá por aí nas próximas semanas de Inverno, quando regressar a chuva e o frio.

 

Boas Festas e Bom Ano

Obrigado a toda a grande família de amigos e apoiantes do projecto Permabio. Estamos profundamente agradecidos por todas as contribuições e serviços que nos solicitaram durante este ano. Desta forma permitiram continuarmos a evoluir na concretização do sonho de deixar um mundo melhor para quem nos sucede, ao mesmo tempo que mostramos que é possível viver de uma forma simples e em harmonia com a natureza, sendo grato por tudo o que ela nos oferece diariamente. 2017 está próximo e esperamos poder continuar a contar com o vosso apoio. No próximo ano contamos avançar com a horta, a capoeira, o espaço das galinhas e o forno a lenha! Muitas mais novidades vos esperam. Contamos partilhá-las convosco no decorrer do próximo ano! Boas Festas e Bom Ano!  Paulo, Maria e Gaia

boas-festas-permabio

Depois da tempestade vem a bonança

Depois da tempestade vem a bonança, literalmente! 😉 Depois da chuva, do vento, do frio e da planta de Physalis ter sido quase toda destruída no temporal de ontem, houve quem hoje tivesse marchado os frutos que salvámos, em segundos. Aproveitámos ainda para celebrar em família o regresso temporário do Sol, aproveitado para explorar a imensidão de uma praia de inverno! 😉

Conter Estragos dos Últimos Dois Dias

Durante os dois últimos dias as condições meteorológicas têm vindo a agravar-se e este ano fomos mais uma vez  fustigados pela chuva, pelo frio e pelo vento de Sudoeste e Norte! Parece que ao final do dia de hoje tudo irá melhorar, mas desde esta manhã que temos andado na rua a conter os estragos. Não houve nada de grave mas apenas situações chatas. O Portão de acesso a veículos cedeu e a barra de aço que ajudava a mantê-lo fechado dobrou como se vê na imagens. O Physalis foi bastante afectado ficando a planta quase toda destruída, as bananeiras ficaram um pouco “despenteadas” tal como muitas outras plantas pelo espaço. Vários elementos foram projectados pelo vento, os quais tivemos  de voltar a recolher. O nosso toldo provisório teve de ser libertado num dos pontos de fixação pois a força à qual estava a ser sujeito poderia ter comprometido a estrutura do telheiro / cozinha exterior durante a noite de ontem. Acabámos por recolhê-lo hoje depois do almoço, para não se danificar ainda mais. A precipitação e o frio trouxeram o granizo bem forte durante toda a noite e manhã, ficando este acumulado em algumas partes do telhado do yurt que tivemos de limpar. O vento de Norte, ajudou à festa e trouxe também o granizo para dentro da cozinha exterior. De manhã havia granizo por todo o lado, inclusive na consola de cozinha, mesa, chão e fogão. A dorna de 1000l está quase cheia pela terceira vez este ano e apenas tivemos algumas gotinhas a entrar pela cúpula do yurt e pela janela do abrigo hobbit, pois estavam mesmo a ser empurradas pelo vento que estava a “soprar” fortíssimo. As WC’s exteriores não tiveram qualquer infiltração felizmente. Do mal o melhor! É questão de continuarmos atentos, mas foram dois dias perdidos de volta disto.