Oficina Móvel de Vento em Poupa

Finalmente e ao fim de alguns anos, conseguimos reunir à nossa capacidade de planeamento e execução, os materiais e a equipa certa para nos ajudarem a concretizar a nossa Oficina de Trabalho Móvel Lowcost de acordo com o nosso plano. Os trabalhos de soldagem começaram no final da semana passada e estamos bem lançados já com a estrutura concluída a uns 70%. As Janelas e a porta provêm de Outlet/Segunda mão e já iniciámos a remoção do silicone velho que vem agarrado ao PVC. A cobertura e a fachada isoladas já estão a postos, para serem cortadas e aplicadas. Ontem estive o dia todo de volta do chão a lixar, aspirar, dar três camadas de cor e três camadas de verniz. Em principio fica pronto amanhã, depois da última lixagem e camada de verniz. Faltam depois os cortes de encaixe dos tubos da estrutura mas isso só antes de fechar as paredes. Se tudo correr bem no início de Julho temos o conceito concluído.

Nutrir para Colher e Evitar Desperdício.

As últimas duas semanas foram de loucos e não temos parado um segundo. Temos feito um pouco de tudo. Remoção/controle de canas e ervas; Limpeza de caminhos; Plantio, colheitas e transformação; Recuperações de mobiliário e equipamentos electrónicos. Aqui no projecto, o nosso solo está a regenerar-se a um bom ritmo, aguenta melhor a humidade e está mais rico e nutrido. Até o que colhemos, de ano para ano, está cada vez mais saboroso. Além do nosso trabalho no terreno, temos recuperado material electrónico funcional, que encontrámos literalmente no “lixo” e ainda mobiliário de madeira para lá caminhava se não nos tivesse sido doado.

Em relação à mesa de cabeceira, tratámos de limpá-la muito bem, por dentro e por fora. Retirámos as mossas e marcas de copos e ainda tinta que lhe tinha caído em cima. Por fim lixámos todas as peças e aplicámos protector de madeira. Ficou pronta e já está em funcionamento!

O computador que encontrámos estava funcional, foi só mesmo uma questão de limpar o interior, o exterior e o Sistema Operativo. Não coloquem este tipo de artigos funcionais no “lixo” ou na “reciclagem”. Há também ainda, outra espécie de “mamíferos invertebrados” que aceitam doações para partirem tudo, desmantelarem e venderem para o “ferro velho”, não se importando se os equipamentos estão funcionais ou se podem ter uma segunda vida ou não. Doem a quem precisa ou a quem pode colocar estes produtos a bom uso e com bons destinos. Não temos capacidade nem logística para recolher tudo o que nos oferecem, mas tentamos pelo menos contribuir para a resolução de uma parte do problema, canalizando recursos para onde faz sentido.

Oficina Móvel sobre Rodas

Nos últimos dias iniciámos finalmente, a construção do nosso conceito móvel de oficina / Tiny Home. O objectivo será conseguir montar um sistema lowcost sobre rodas, mas totalmente funcional. Temos vindo a planear este conceito no decorrer dos últimos 4 anos e recentemente finalizámos as medidas, tendo em conta as dimensões reais das portas e janelas que conseguimos adquirir em sistema “outlet/segunda mão”. Todo o conceito foi desenhado em torno destes componentes que são geralmente os grandes destruidores de orçamentos! Poderão ser necessários alguns ajustes em pontos de suporte, mas o aspecto final está muito próximo do que vai ficar! Quem planeia sabe que é sempre bom medir e confirmar pelo menos três vezes antes de executar. Já verificámos as espessuras, o casamento dos materiais, novos detalhes, encaixes e as medidas de portas e janelas. As rodas acabaram de chegar há uns dias e o metal para o chassis e para a estrutura estão a postos.

Como nunca é demais ser organizado, desenhei um croqui da serventia para garantir que será possível a fase de transporte do projecto até ao seu destino. Fui ainda atrás do responsável pelo transporte para tirar as medidas do reboque que vai movimentar o conceito assim que tiver pronto. Conto apenas garantir que toda a operação decorre suavemente e sem percalços! 😉


Nunca baixar os braços

Há uma semana fomos recebidos com um calor intenso o que nos obrigou a refugiar na sombra e a procurar a praia ao final do dia. Felizmente passou rápido e os dias de primavera regressaram para o nosso bem e para o bem das nossas plantinhas. Infelizmente, os últimos meses têm sido complicados, pois um de nós está a lidar com alguns problemas de saúde que irão levar mais tempo que o previsto para serem resolvidos. Alguns destes problemas, surgiram devido a lesões musculares e esqueléticas do passado, que agora, ao fim de 20 anos tiveram os seus efeitos, mas também ao resultado do continuado consumo de hidratos de carbono em excesso ao longo dos últimos 4 anos como “Comfort food” em situações mais estressantes. Sim, viver com pouco dinheiro e criar uma criança ao mesmo tempo que se trabalha no duro e se parte a cabeça para desenvolver tudo o que é necessário, é muito prazeroso e reconfortante, mas por vezes, muito desafiante. E quando a cabeça não tem juízo…

Viver neste estilo de vida, sem subsídios ou um rendimento fixo de suporte, torna a evolução de um projecto como o nosso, num quebra cabeças, o que nos obriga não só, a sermos mais criativos na resolução de problemas, como nos faz repensar, onde e de que forma podemos aplicar o pouco que temos. Há cerca de 4 anos que andamos a planear e a encontrar soluções para um espaço de trabalho móvel, para o qual apenas agora, poderão ter sido reunidas as condições para avançar. Esta semana demos início a este novo projecto que vai concretizar-se, mesmo que demore mais tempo. É para ir com calma.

Felizmente e como olhamos para a vida com positividade, continuamos a percorrer o nosso caminho, a seguir com o nosso processo de cura e a diversificar as nossas actividades, com vista à nossa recuperação e evolução. Recusamo-nos a baixar os braços e embora com menos capacidade física para passarmos mais tempo na horta e no terreno, os últimos dias tiveram mesmo de ser aplicados na manutenção do espaço e no plantio de mais espécies. Limpámos também a zona de escoamento de águas cinza, removemos infestantes dos canteiros da zona de infiltração e além da matéria orgânica que temos vindo a aplicar neles, avançamos com a plantação de grão para ajudar na fixação de Azoto. No processo de manutenção do espaço, descobrimos que duas das nossas bananeiras rebentaram de novo e temos finalmente os milhos quase todos na terra. A horta/jardim está cada vez mais bonita e apetitosa! 😉

Parece Primavera

Como os dias têm estado maravilhosos, e parece mesmo primavera, temos aproveitado a oportunidade de passar mais tempo no exterior, a mondar, transplantar, regar, podar, triturar e a criar cobertura de solo. Estamos finalmente a dar um toque nas laranjeiras que estavam há anos a aguardar uma poda que permita que a luz e o ar circulem livremente na área interior da copa. Ainda há trabalho para concluir nos próximos dias nesse sentido.

Sempre que possível, aproveitamos também para almoçar na rua na mesa exterior que criámos no ano passado. Depois do almoço mudámos finalmente a mesa, para a sua área de Primavera/Verão, visto que temos de começar a pensar nos espaços disponíveis e acessíveis, para instalar a futura oficina móvel.

Esta semana conseguimos ainda colher e secar flores, criar novos sabonetes, enviar algumas encomendas para apoiantes e acima de tudo, conseguimos recuperar / reparar mais alguns equipamentos electrónicos que iam a caminho do aterro ou de desmantelamento, o que nos deixa sempre felizes, não só porque aprendemos sempre algo novo, como evitamos o desperdício de algo que ainda tem vida útil. O que me faz mais confusão é mesmo a quantidade de aparelhos que toda a gente “manda fora”, que são reparáveis e que podem continuar a exercer a sua função perfeitamente.

A Necessidade de um Conceito Móvel de Trabalho

Há projectos que se estudam e concretizam em horas, outros em dias ou em momentos chave e há ainda outros, que demoram meses ou anos a concretizarem-se. A nossa capacidade financeira é muito limitada, e temos vindo a adiar sucessivamente este projecto, mas existe mesmo a necessidade de criarmos ou iniciarmos pelo menos, este ano, a criação de um espaço móvel multifuncional. Um espaço que não seja apenas oficina, para trabalho e armazenamento de madeira e ferramentas, mas também um espaço para os trabalhos de electrónica e tecnologia que desenvolvemos no projecto paralelo, de combate à obsolescência programada. É um projecto que terá de ser concretizado em fases e convém que o mesmo, possa no futuro ser facilmente convertido numa casa sobre rodas, mais conhecida por tiny house.

Ainda não temos o puzzle todo montado na nossa cabeça, mas está para breve. Este é um projecto que temos vindo a adiar, mas ainda bem que assim o foi, pois agora temos uma noção melhor do que realmente necessitamos. Apenas temos de perceber as limitações com a serventia e a disposição no terreno para começarmos a planear e a ter uma noção real dos custos. Com o regresso do Sol e os trabalhos na rua, avançámos com a limpeza, arrumação e manutenção dos materiais e ferramentas que temos temporariamente no telheiro exterior, e a necessidade de um espaço de trabalho tornou-se evidente de novo. Ao mesmo tempo que trabalhávamos no telheiro a nossa pequenota, lá estava por perto com as suas importantes actividades de exploração, como andar de baloiço, jogar à bola, correr, apanhar flores e debulhar milho para dar à Galinha, entre outras. Ontem o dia foi todo na rua! 😉

Um Novo Ciclo de Celebrações

Demos início ao novo ciclo de celebrações de Final de Ano, com a montagem em família, do nosso conceito minimalista de Árvore de Natal. Somos gratos pela onda de generosidade característica desta época e queremos agradecer em especial, as ofertas/doações de equipamentos que os nossos amigos Riikka e Pedro, fizeram recentemente. Vamos dar uma segunda vida a esses equipamentos, restaurando-os e/ou reutilizando-os em futuros projectos evitando que vão parar um aterro ou que sejam desmantelados enquanto estiverem a funcionar em condições. Uma das ofertas foi um velhinho portátil, que é uma robusta máquina de guerra de 2003, mas que já tratámos de começar o processo de limpeza, para podermos passar à fase seguinte da sua recuperação. Obrigado por estas prendinhas antecipadas! 😉

Nos Intervalos da Chuva

Esta semana temos mantido maioritariamente actividades no interior, aproveitando para restaurar um antigo leitor de cassetes dos anos 80, que se encontrava com inúmeros problemas.

Ontem a chuva deu tréguas e tivemos a oportunidade de irmos assistir a várias palestras no primeiro TEDx Peniche. Obrigado a todos envolvidos na organização e concretização desta primeira edição. Foi um dia de partilha e de “vínculos” criados com velhos e novos amigos. Um obrigado especial ao participante que através da sua generosidade ofereceu o bilhete que nos permitiu estarmos presentes.

Hoje, ainda no intervalo de tempo sem chuva, foi meter mãos na massa, mal acordámos. Subi para o telhado, limpei o painel fotovoltaico, corrigi a sua posição para uma inclinação de 70º, para a maximizar a captura de energia e aproveitei ainda para limpar o interior de todas as tubagens de extracção de fumos. De seguida, passámos para a remoção da cúpula do yurt para podermos enfiar a capa de telhado velha, que mandámos recozer. Desta forma, pretendemos poupar e estender a duração da capa nova que ficou agora mais protegida por baixo da mais antiga. Por fim, voltou a montar-se a cúpula e fixou-se a capa exterior.

Nos breves instantes antes de começar a chover de novo, atacámos ainda na poda de alguns elementos que foram logo triturados e deixada a estilha no mesmo local, para acelerar desta forma, o processo de regresso de nutrientes à terra. Queimadas é para gente ignorante! Aqui trabalha-se com a natureza e não contra ela.

A nossa menina aproveita para brincar na rua enquanto observa na horta, que as culturas de inverno estão a desenvolver-se bem e que a galinha, completamente renovada com esta passagem de ano, está a dar conta das suas tarefas e explorações, deixando diariamente o seu ovo e controlando a bicharada no terreno. Em breve temos de tentar encontrar-lhe umas companheiras.

Como grande tarefa antes da chegada definitiva do inverno, fica apenas a faltar a limpeza e aplicação do protector de madeira no atrelado WC gerador e no abrigo hobbit.

Canteiros Outono/Inverno e Reparar, reparar, reparar!

Nos últimos tempos, temos trabalhado e brincado na rua, onde entre cuidar do espaço, fazer pinturas ou desenhos, preparámos novas mudas para introduzir nos canteiros alimentares de outono/inverno, que acabámos de fertilizar e cobrir. Fizemos também algumas transplantações de plantas para novos vasos com mais espaço e nutrientes, para introduzirmos no espaço, assim que regressarem as primeiras chuvas. Ao mesmo tempo, tive necessidade de pessoalmente, dedicar-me a alguns projectos pendentes, relacionados com o restauro e reparação de diferentes aparelhos que recolhemos, que nos foram oferecidos ou para os quais foram requisitados os nossos serviços de restauro. Acreditamos que mais importante que reciclar, é reparar e dar nova vida ao que está estragado ou degradado. A cultura do usa e deita fora, tem os dias contados há muito tempo!

Esta semana além do trabalho do “salvamento” do macbook da nossa amiga Wendy, continuamos a desmontar e a testar, baterias velhas de portáteis para o novo projecto de energia. Reparámos ainda um candeeiro que estava completamente inutilizado com os plásticos internos de apoio e fixação todos partidos, limpámos e restaurámos duas consolas de videojogos, uma fonte de alimentação com 26 anos e um carregador de portátil a 12v. Aos poucos, vamos adicionando novas skills e competências ao nosso cardápio, pois acreditamos que cada vez será mais importante reparar para continuar a utilizar. Esta visão e conceitos são transversais a todo o nosso projecto e totalmente de acordo com um estilo de vida ecológico, onde se valorizam os escassos recursos.

Gostaste da dica? Não percas nada do que temos para te ensinar! Subscreve já! 😉

Produtos, Recursos e Resolução de Problemas

Esta semana preparámos os nossos recentes bálsamos, sabonetes e velas naturais ecológicos, que estão disponíveis para os nossos apoiantes e para encomenda em: https://bit.ly/2q5xsZa

Recuperámos ainda motores eléctricos funcionais, de alguns equipamentos avariados e recentemente o nosso amigo Melo, ofereceu-nos baterias velhas de computador portátil para reciclar, que prontamente desmontámos e aproveitámos as células individuais. iremos testá-las, calibrá-las e possivelmente utilizá-las noutros projectos de energia alternativa. Para quem nos segue e tiver baterias de portátil para reciclar e quiserem doar-nos, agradecemos imenso a oferta! 😉

Por fim e após cinco anos, conseguimos finalmente investir num pequeno triturador de ramos que necessitamos especialmente para nos livrarmos do excesso de canas que produzimos anualmente. Desta forma, não só nos livramos de um problema como ao mesmo tempo, libertamos espaços e criamos cobertura de solo rica em matéria orgânica. Esta foi espalhada em volta de todas as árvores, no espaço dos animais e no solo junto do canavial e à WC das Visitas! Como sempre, a nossa menina também ajudou nas tarefas, passando-nos canas para triturarmos e cuidando dos animais. Nas últimas imagens, podemos observá-la a levar restos de cozinha, para alimentar as nossas minhocas no vermicompostor! 😉

Gostaste das dicas? Para nos seguires mais de perto, subscreve já! 😉