Compostagem

Como forma responsável de gestão dos resíduos no nosso espaço e incorporação dos mesmos no ciclo de produção alimentar, utilizamos compostores para transformar restos vegetais, aparas de madeira, serradura, cinza e resíduos humanos em fertilizante natural que será aplicado no trabalho de reparação e recuperação da fertilidade do nosso solo.
No final do ciclo de degradação dos resíduos e transformação pela micro biologia do solo juntamente com minhocas e fungos, obteremos um composto (húmus) rico em nutrientes, com uma enorme capacidade de retenção de água e sais minerais que estão disponíveis para as plantas que forem fertilizar.
Desta forma, fechamos o ciclo e os nutrientes que produzimos são geridos e processados in loco. Não utilizamos água no processo nem contaminamos preciosa água potável. Desta forma transformamos problemas em oportunidades e aproveitamos recursos que nos sistemas convencionais são desperdiçados e mal utilizados, criando focos de contaminação e poluição.
Já vamos no quarto compostor e planeamos instalar muitos mais, junto de árvores que pretendamos desenvolver. É incrivel ver o desenvolvimento de árvores próximas aos compostores, desde a rapidez de crescimento à quantidade de fruta! 😉

1º Compostor (Evolução de Abril de 2015 a Maio de 2016) (processo completo)

2º Compostor (Evolução de Maio de 2016 a Junho de 2017) (processo completo)

3º Compostor (Evolução de Junho 2017 a Agosto 2018 (processo completo)

4º Compostor (em Descanso desde Agosto de 2018)

Sanita Seca

Como forma de gestão dos resíduos humanos, utilizamos uma tecnologia vernacular adaptada aos dias de hoje, que se chama sanita seca. Uma sanita seca é um vaso sanitário ecológico que pode assumir diferentes formas, utilizar materiais distintos e possuir várias funcionalidades. Tem a importante função de receber os dejectos humanos num meio não aquoso, dispensando portanto a utilização de água potável e não contribuir para a contaminação de qualquer elemento associado ao ciclo da água, ao contrário dos sanitários convencionais.
Utiliza-se a serradura ou quaisquer outras aparas vegetais como meio de adicionar um conteúdo rico em Carbono aos dejectos humanos ricos em Nitrogénio. Assim absorve-se o excesso de humidade, controlando a proliferação de cheiros desagradáveis. Ao utilizar um racio equilibrado, estimulamos a mistura correcta para os microorganismos iniciarem o  processo de decomposição/transformação desta matéria orgânica, em fertilizante natural.
A mistura presente no balde sanitário é posteriormente depositada num compostor, onde a natureza e os elementos procedem à referida transformação nos dois anos seguintes.

Sanita seca que agora está instalada na nova WC de apoio ao Abrigo Hobbit

Nova sanita seca instalada na nosso Atrelado WC

Sanita seca ultraportátil da nossa carrinha: