Novo Canteiro Três Irmãs em Espiral

Na continuação do primeiro canteiro, a Maria sobre o olhar atento da Gaia, esteve a preparar as covas para plantar um novo canteiro em espiral com milho e o feijão! Já temos a abóbora pronta para incorporar os mesmos e finalizar a consociação que desejamos em ambos os canteiros. Ao final do dia e depois da rega, aproveitei para remover ervas e cobrir os espaços entre canteiros com palha. A cada dia que passa a horta vai-se compondo! 😉

Manutenção, Germinações e o Primeiro Canteiro Exclusivo para Produção Alimentar

Esta semana temos andado de volta da arrumação e limpeza de materiais e manutenção dos conceitos habitacionais, preparando a visita guiada que vamos receber amanhã. Tratámos também de recuperar as bicicletas que estiveram o inverno todo debaixo de capas que acabaram por romper com os ventos fortes e estavam cheias de bicharada e sujidade. Constantemente temos tratado da manutenção do espaço cortando ervas em espaços críticos, libertando as que pretendemos que se desenvolvam. Ao mesmo tempo observamos as mudanças no tamanho das árvores que plantámos, sentimos o cheiro das flores, e criamos momentos de brincadeira na rua, aproveitando para desenvolver actividades com a nossa pequenota.

Continuamos a cuidar das germinações e a preparar as mesmas para serem transferidas em breve para o canteiro que terminámos hoje. É isso mesmo, hoje ao final da tarde metemos mãos na massa forte e feio, nivelando finalmente o nosso primeiro canteiro para produção alimentar, o qual foi coberto de seguida com uma camada fina do nosso próprio composto que estava em cura há quase um ano e por fim, distribuímos camadas generosas de palha ao mesmo tempo que regámos para que a mesma aderisse ao formato do solo! 😉

 

Canteiro Vertical para Batatas.

Hoje durante a manhã aproveitámos para reutilizar paus de eucalipto, cartão e rede de capoeira. Com estes materiais construímos o nosso primeiro canteiro vertical destinado ao plantio de batata.

Desta forma planta vai rompendo da palha e à medida que cresce, acrescentamos mais solo e palha. Quando a planta atingir o seu tamanho máximo e chegar a altura de colheita, basta desfazer a rede e dar um pontapé no monte. Depois é apanhar as batatas todas que a planta foi criando não só na base como também ao longo do seu caule.

IMG_0738
IMG_0741
IMG_0743 
IMG_0744
IMG_0745
IMG_0746
IMG_0747

Hoje a manhã foi dura.

Depois de uma noite e uma manhã de chuva ligeira, uma nova enxada e muita determinação, avançámos para a remoção de raízes de canas e silvas num local que pretendemos transformar em canteiros…

Depois de quase três horas a cavar e a arrancar raízes, ficou no ar alguma frustração pois apenas se conseguiu tratar um espaço de 2m x 1m. Infelizmente as raízes estão tão profundas que tivemos de fazer a cova com praticamente 70cm de profundidade. Tivemos de agir por fases ao longo dos 2 metros de extensão e ir seleccionando a terra para retirar todos os pequenos pedaços de raízes.

A guerra está longe de terminar mas hoje travou-se mais uma batalha.

Depois de alisado o terreno, o resultado é quase imperceptível, mas nós sabemos bem as dezenas de quilos de raízes que dali saíram.

IMG_8573