O Mais Recente Habitante da Nossa Horta

Hoje encontrámos na horta, mais uma recompensa pelo trabalho a favor da natureza, sem utilização de “tratamentos”, pesticidas ou qualquer agressão ao solo. Este é o mais recente habitante do nosso espaço, descobrimo-lo hoje por acaso, quando andávamos a espalhar cobertura de solo no canteiro da horta, voltámos a colocá-lo no espaço que escolheu e ainda lhe deixámos água.

O ouriço-terrestre ou ouriço-cacheiro (Erinaceus europeus) é um insetívoro, alimentando-se sobretudo de invertebrados que encontra no solo (minhocas, escaravelhos, lagartas, aranhas, lesmas, larvas e caracóis), por vezes, consume ovos e pequenos vertebrados (anfíbios), frutos e sementes. Neste momento está no período de engorda para poder hibernar a partir de novembro caso as temperaturas baixem muito.

Devido à sua dieta, o Ouriço é considerado um animal auxiliar das hortas, pois consegue ajudar no controlo de pragas naturalmente. Ao que parece, é capaz de comer várias vezes o seu próprio peso em insetos e anelídeos e durante a noite, pode percorrer distâncias entre um e três quilómetros.

Dia Fantástico para Trabalhar lá Fora

Fomos presenteados com mais um fantástico dia primavera, em que iniciámos o processo de germinação de três variedades de feijão, duas variedades de milho e ainda outras sementes especiais. Vamos tentar que o nosso milho azul dos índios norte-americanos germine, esperando que a semente não tenha perdido a sua viabilidade. As plântulas de grão de bico, parecem estar a desenvolver-se bem e espalhámos pelo terreno, sementes de camomila, calêndula e mostarda, ao mesmo tempo que recolhíamos hortã-pimenta e consolda. A hortelã, ficará temporariamente a aromatizar o yurt e a consolda foi desidratada no velhinho forno solar com destino a infusões e macerações. Fizemos experiências com propagação de consolda e sabugueiro por estaca que esperamos que resultem, a ver vamos!

Ainda no exterior encontrámos um dos nossos “habitantes”, provavelmente a controlar a população de um “primo” que poderia causar estragos!

Finalmente, metemos mão na massa para fazer o nosso maravilhoso xarope de flor de sabugueiro que ficará durante algumas semanas a apurar até poder ser degustado! Só o cheiro é divinal! 😉

Já da parta da tarde libertámos mais uma área no yurt com o objectivo de ter um espaço maios e mais permanente de convívio e brincadeira junto ao solo, para nós e para a nossa menina! 😉

Evolução dos Nossos Canteiros.

E lá continuamos com a finalização dos nossos canteiros complementados por três novas torres verticais para produção de alimento e aromáticas para a nossa farmácia natural.

Estes últimos dias andámos ocupados a recolher elementos para finalizar e colocar definitivamente as plantas na terra. Ainda muito timidamente e com muito para aprender, é também uma experiência para nós os primeiros passos na produção de algumas espécies vegetais para consumo próprio, criando condições para atrair insectos benéficos e favorecer o controlo de possíveis pragas.

IMG_0774
IMG_0776
IMG_0777
IMG_0778